Em comunicado, o grupo refere que os medicamentos foram selecionados em função das necessidades identificadas pela Cruz Vermelha Portuguesa no terreno, tratando-se essencialmente de antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios.

"É uma catástrofe de grandes proporções à qual a sociedade civil não pode ficar indiferente porque as doenças vão aumentar no rescaldo de um desastre como este. A contribuição em medicamentos por parte das empresas como o grupo Cooprofar-Medlog é, pois, um inestimável apoio a esta Operação Embondeiro desenvolvida pela Cruz Vermelha Portuguesa em Moçambique", disse o presidente desta instituição, Francisco George, citado na nota.

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.