O centro da intempérie localizou-se perto de Cayo Costa, uma ilha barreira protegida a oeste da povoada Fort Myers.

A tempestade de categoria quatro atingiu a costa com ventos de 241 quilómetros por hora e mais de um milhão de residências e empresas na Florida ficaram sem eletricidade.

Também um gabinete das autoridades costeiras adiantou ter recebido muitos telefonemas de pessoas presas em casa.

O furacão Ian já havia passado por Cuba, matando duas pessoas e derrubando a rede elétrica daquele país caribenho.

Cerca de 2,5 milhões de pessoas foram obrigadas a evacuar o sudoeste da Florida antes da chegada de Ian.

Embora se aguardasse que o furacão enfraquecesse para uma tempestade tropical à medida que se deslocava para o interior a cerca de 14 quilómetros por hora, os ventos provavelmente se sentiriam com intensidade naquele estado norte-americanos.

Os ventos mais fortes foram sentidos a uma velocidade de 210 quilómetros por hora, sendo ainda esperadas tempestades no nordeste.

"Este vai ser um dia desagradável, dois dias", disse o governador da Florida, Ron DeSantis, pedindo às pessoas para que se desloquem para o abrigo mais seguro.

Ian passou a mais de 160 quilómetro do sul de Tampa e São Petersburgo, poupando a área de Tampa Bay -- densamente povoada -- do seu primeiro impacto direto por um grande furacão desde 1921.

Em todo o estado são possíveis inundações repentinas, representando um perigo face aos resíduos da indústria mineração de fertilizantes fosfatos em lagoas.

Mais de mil milhões de toneladas de sobras ligeiramente radioativas podem ser deslocadas devido às chuvas fortes.

O Governo federal enviou 300 ambulâncias com equipas médicas e está preparado para transportar 3,7 milhões de refeições e 3,5 milhões de litros de água assim que a tempestade passar.

Os governadores da Virgínia, Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte declararam preventivamente estados de emergência.

Os meteorologistas previram que Ian passará por aqueles estados como uma tempestade tropical, provavelmente com chuvas intensas, depois de cruzar a Florida.

JML // RBF

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.