Em comunicado, a GNR adianta que a investigação por burlas a uma empresa gasolineira, que decorria há cerca de oito meses, culminou na quarta-feira na constituição de sete arguidos, cinco homens e duas mulheres, em Faro e Olhão.

Os suspeitos, com idades entre os 20 e os 50 anos, "procediam à falsificação de documentos para, através de uma plataforma 'online' da empresa gasolineira, formalizarem contratos com a mesma e assim obterem cartões de crédito de combustível, tirando proveito do 'plafond' inicial de combustível atribuído ao cliente".

De acordo com a GNR, esse 'plafond' inicial "nunca era saldado, lesando assim a empresa em cerca de sete mil euros".

Os suspeitos dos crimes de burla qualificada e falsificação de documentos foram constituídos arguidos no seguimento de oito mandados de busca.

A operação permitiu ainda apreender 10 cartões de crédito de combustível da gasolineira, de distintos titulares, documentação associada ao pedido de emissão dos cartões de crédito de combustível, equipamento informático e sete telemóveis.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Faro.

A ação, levada a cabo pelo Núcleo de Investigação Criminal de Faro, contou com o reforço de militares do destacamento territorial de Faro e da estrutura de investigação criminal, com o apoio da PSP.

MAD // MCL

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.