O chefe do Governo português chega ao Dubai, Emirados Árabes Unidos, na sexta-feira, acompanhado dos ministros dos Negócios Estrangeiros e Ambiente e Ação Climática, e da secretária de Estado da Energia e Clima, refere uma nota do gabinete do primeiro-ministro.

Antes de discursar perante a COP28, no sábado, António Costa vai estar na cimeira na sexta-feira e irá, durante a manhã, à sessão de abertura da Cimeira dos Líderes.

Ao início da tarde, o líder do executivo preside à inauguração do Pavilhão de Portugal, uma estreia que representa, segundo o gabinete do primeiro-ministro, o reforço da presença institucional do país nas cimeiras do clima, cumprindo assim o compromisso assumido no ano passado, na COP27, em Sharm El-Sheikh, Egito.

Ao longo dos dois dias, António Costa tem uma agenda sobretudo dedicada ao financiamento da mitigação e adaptação às alterações climáticas, com a assinatura do Acordo de Compromisso Financeiro com Fundo Verde para o Clima, da ONU, de apoio aos países em desenvolvimento.

Ainda na sexta-feira, está também agendada a assinatura da adenda ao memorando sobre Reconversão da Dívida entre Portugal e Cabo Verde, que prevê a participação com 12 milhões de euros num fundo climático, um valor que se devia destinar a pagar dívida cabo-verdiana a Portugal.

Depois, participa num evento sobre o mesmo tema com São Tomé e Príncipe, no âmbito de um projeto nos mesmos moldes ao celebrado com Cabo Verde, e ao final do dia estará presente na cerimónia de entrega dos prémios Zayed para a sustentabilidade.

No sábado, após discursar para a COP28, o primeiro-ministro participa numa mesa-redonda sobre mitigação das alterações climáticas.

Durante a tarde, no Pavilhão de Portugal, intervém na apresentação da tradução para português do relatório "Financing Clean Energy in Africa", da Agência Internacional de Energia.

Representantes de quase todos países do mundo reúnem-se a partir de hoje no Dubai na 28.ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP28), em que será feito o primeiro balanço global de oito anos de ação climática.

Até dia 12 de dezembro, os Emirados Árabes Unidos, um dos principais produtores de petróleo, recebem milhares de pessoas de todo o mundo na chamada cimeira do clima, para debater as alterações climáticas e a luta contra o aquecimento global.

MCA // SB

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.