Faustino Miguéns, porta-voz do Serviço de Proteção Civil e Bombeiros de Luanda, citado pela TPA, revelou que a chuva ininterrupta afetou 80% da cidade e que além da morte de uma pessoa, duas crianças estão dadas como desaparecidas no distrito urbano do Nova Vida.

No distrito urbano da Samba, a estrada principal ficou intransitável com extensos lençóis de agua a escorrer dos bairros periféricos e na Rua da Liga Africana, a queda de uma árvore obrigou à interrupção do trânsito.

A governadora provincial de Luanda, Joana Lina, disse à TPA que vai avaliar a situação com as administrações municipais e dos distritos que estão já a recolher informações sobre as ocorrências.

A governadora notou que em algumas áreas se verifica ainda amontoados de lixo, que foram arrastados pelas chuvas, e assinalou que a questão das ravinas "está a ser tratada".

Nas ruas inundadas da cidade e dos bairros acumularam-se detritos, lama e água, que impediram ou dificultaram a circulação de muitos moradores ao longo das três horas de chuva durante a manhã.

Há também registo de bacias de retenção que transbordaram, queda de árvores sobre viaturas e queda de postes de iluminação pública, segundo Faustino Miguéns, que aconselhou as pessoas a não manter contacto com a eletricidade para evitar casos de eletrocussão.

 

RCR // LFS

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.