"O meu profundo pesar e condolências às famílias das vítimas da debandada na cidade de Malang. A União Europeia apoia a Indonésia neste momento de grande tristeza", escreveu o líder do Conselho Europeu na rede social Twitter.

As autoridades indonésias disseram inicialmente que os tumultos ocorridos no final do jogo de futebol em Java Oriental provocaram 174 mortos, mas o número oficial foi entretanto revisto para 125.

O surto de violência aconteceu depois de cerca de 3.000 adeptos do Arema FC terem invadido o campo após uma derrota (2-3) contra os rivais Persebaya Surabaya e entrarem em confronto com as forças de segurança, que por sua vez utilizaram gás lacrimogéneo numa tentativa de dispersar a multidão.

Segundo o chefe da polícia de Java Oriental, Nico Afinta, a maioria das mortes foram causadas pela debandada de adeptos, muitos dos quais sufocados até à morte enquanto tentavam sair do estádio. Muitas das pessoas morreram espezinhadas no caos da debandada.

Nos tumultos, que se estenderam ao exterior do estádio, morreram pelo menos dois agentes da polícia. O campeonato indonésio de futebol foi suspenso e as autoridades ordenaram um inquérito aos incidentes.

A tragédia do Estádio Kanjuruhan ocorre menos de um ano antes de a Indonésia acolher o Mundial sub-20 de futebol, que está agendado entre 20 de maio a 11 de junho de 2023.

O incidente da noite passada já é considerado uma das piores tragédias da história recente do futebol mundial.

JGO (AMG/PNG) // MAG

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.