A declaração foi feita pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil na rede social Twitter, onde foram partilhadas fotografias de um encontro entre o chefe da diplomacia brasileira, Carlos França, e a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Verónica Macamo, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.

A província de Cabo Delgado é aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, sendo alguns dos ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

O conflito já provocou mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, segundo as autoridades moçambicanas.

"Moçambique é um dos principais parceiros de cooperação técnica do Brasil. Os 'chanceleres' conversaram sobre comércio e investimentos, cooperação em saúde e coordenação em órgãos multilaterais", acrescentou a tutela no Twitter.

"Símbolo dessa relação benéfica a nossos povos foi a doação brasileira de 100 mil euros ao Programa Mundial de Alimentos em Moçambique, em junho último, com o objetivo de fortalecer a segurança alimentar na província de Cabo Delgado", concluiu o executivo brasileiro, presidido por Jair Bolsonaro.

Apesar de a comitiva de Jair Bolsonaro já ter regressado ao Brasil após a participação na 76.ª Assembleia Geral das Nações Unidas, o ministro Carlos França continuou em território norte-americano, onde deverá permanecer até esta sexta-feira, tendo-se reunido com governantes do Peru, com quem discutiu a cooperação no combate à pandemia, incluindo a produção local de vacinas e campanhas de vacinação na Amazónia, ou da Costa Rica, que resultaram num memorando de entendimento sobre o estabelecimento de mecanismo de consultas políticas.

Carlos França manteve a agenda em Nova Iorque mesmo tendo estado em contacto com o ministro da Saúde brasileiro, Marcelo Queiroga, que testou positivo à covid-19 na terça-feira, antes de a comitiva presidencial regressar ao Brasil, e que se encontra em isolamento naquela cidade norte-americana.

Já Jair Bolsonaro, e cerca de 50 pessoas que integravam a sua comitiva, encontram-se em isolamento em solo brasileiro.

MYMM (LFO) // MIM

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.