Num telefonema hoje de manhã com o líder do executivo israelita, Benjamin Netanyahu, Joe Biden "reafirmou a opinião de que uma operação militar em Rafah não deve prosseguir sem um plano credível e exequível para garantir a segurança e o apoio ao mais de um milhão de pessoas que aí se encontram abrigadas", segundo um comunicado da Casa Branca.

A população desta cidade no extremo sul do território costeiro, perto da fronteira egípcia, mais do que quintuplicou nas últimas semanas, com a chegada de centenas de milhares de pessoas que fogem da guerra.

Mais de 1,3 milhões de palestinianos refugiaram-se ali e a comunidade internacional está preocupada com a sua proteção após Netanyahu ter ordenado ao exército, na sexta-feira, que preparasse uma ofensiva em Rafah.

JH // VAM

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.