Durante uma viagem de comboio entre Vila Franca de Xira e Lisboa, no segundo dia oficial da campanha autárquica, Catarina Martins foi questionada pelos jornalistas sobre o projeto-lei do PSD para transferir o Tribunal Constitucional (TC) de Lisboa para Coimbra e sobre o parecer dos juízes que considera a deslocalização "desprestigiante".

"Convenhamos que, neste momento, achar que o que vamos debater é a transferência do Tribunal Constitucional é um bocadinho brincar com as pessoas. Nós não fechamos a porta a debater, agora é preciso ser sério, isto é só um número eleitoral para o município de Coimbra", criticou.

O Bloco de Esquerda (BE), de acordo com a sua líder, vai abster-se na votação do projeto de lei dos sociais-democratas.

"O Bloco de Esquerda não tem nada de princípio contra a ideia, o que dizemos é que não achamos que este seja o momento ou a forma de colocar a questão", justificou.

Para Catarina Martins trata-se de "um número eleitoral do PSD".

"Seguramente, colocada a questão noutro tempo, de outra forma, pensando outros serviços fundamentais de que as pessoas precisam, a nossa posição seria outra. Desta forma não podemos ter outra posição que não esta", explicou.

JF // FPA

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.