Foi lançado online o “Guia das Espécies Exóticas e Invasoras dos Rios, Lagos e Estuários da Península Ibérica” em português, espanhol e inglês, com o objetivo de consciencializar a população para uma realidade que pode acarretar problemas ambientais, económicos, sociais e de saúde pública.

Este livro envolveu 42 cientistas portugueses e espanhóis e contém fichas dedicadas a 100 espécies dos diferentes grupos taxonómicos, com fotos, mapas de distribuição na Península Ibérica e descrição das caraterísticas de cada organismo. De forma simples e didática, define-se o conceito de Espécie Exótica Invasora (EEI) e explica-se como estas se dispersam, quais os seus impactos e o que podemos fazer para evitar ou minimizar o problema.

Oportunista, voraz e agressivo: nas águas do Tejo anda um gigante a dizimar as espécies nativas
Oportunista, voraz e agressivo: nas águas do Tejo anda um gigante a dizimar as espécies nativas
Ver artigo

Ao SAPO, Filipe Ribeiro, biólogo e investigador do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, explica que «este é o primeiro Guia de Espécies Exóticas Invasoras em meio Aquático e permite a qualquer cidadão melhorar o seu conhecimento sobre estas invasoras que ameaçam os ecossistemas, causam impactos económicos e podem ser um perigo para a saúde pública. É uma primeira ferramenta para ajudar os diferentes agentes da sociedade (municípios, administração, empresas, ONG) na divulgação e aumento da consciencialização sobre esta temática, sendo um passo importante para as pessoas começaram a mudar comportamentos para levar a uma redução de chegada de novas espécies invasoras. A título de exemplo, a taxa atual de chegada de novas espécies de animais aquáticos aos rios e estuários em Portugal é de 14 espécies por década. É importante reduzir esta taxa para que o número de espécies invasoras a cada década seja menor, havendo menos perdas económicas e na biodiversidade».

A introdução de EEIs é a principal causa de extinção de espécies nativas, provocando danos económicos que excedem os 12 mil milhões de euros por ano no contexto da União Europeia. Algumas destas espécies são também responsáveis por problemas de saúde pública.

Este livro destina-se ao público em geral e foi publicado no âmbito do projeto internacional LIFE INVASAQUA, com a participação do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente na Universidade de Évora, da ASPEA – Associação Portuguesa de Educação Ambiental, e da SIBIC – Sociedade Ibérica de Ictiologia.

Acácias, penachos e jacintos-de-água: quando belas plantas invadem e destroem a biodiversidade portuguesa
Acácias, penachos e jacintos-de-água: quando belas plantas invadem e destroem a biodiversidade portuguesa
Ver artigo

A versão atual é gratuita para download em qualquer das três línguas e será posteriormente lançada em versão impressa após a normalização da situação de pandemia.

O projeto LIFE INVASAQUA tem como principal objetivo a sensibilização da sociedade e dos decisores políticos para a prevenção e o alerta precoce da ocorrência de EEIs. Este projeto colaborou na implementação de uma aplicação europeia para telemóvel dedicada às EEIs, elaborou um inquérito a nível ibérico sobre a perceção pública acerca destas espécies, e lançou recentemente a campanha Veja-Lave-Seque para prevenir a sua dispersão em meio aquático.

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.