Golos, espetáculo, incerteza no resultado, emoção... Tudo aquilo que não se viu no Dinamarca-Sérvia. Num Europeu que, de forma geral, tem tido jogos de grande qualidade, a partida entre dinamarqueses e sérvios foi, de forma gritante, a exceção à regra (para felicidade dos adeptos de futebol).

O desfecho? Um 0-0 no marcador e guia de marcha para o conjunto da região dos Balcãs.

Verdade seja dita: olhando para a qualidade dos jogadores de que dispõe, a Sérvia tinha obrigação de fazer muito mais.

Balizas foram quase uma miragem

Anticlimático: obrigada a vencer para continuar em prova, a seleção sérvia pouco mais fez do defender- principalmente na primeira parte. Com apenas Mitrovic como referência ofensiva, isto depois de Vlahovic também ter sido titular na jornada anterior, a formação orientada por Dragan Stojkovic passou claramente a imagem de não ter noção da real importância do encontro desta terça-feira.

Sem ser brilhante, a Dinamarca, com os portugueses Bah e Hjulmand no onze, esteve quase sempre por cima nos primeiros 45 minutos. A primeira ocasião de relativo perigo chegou aos 16 minutos, altura em que Bah, ao segundo poste, cabeceou ao lado da baliza da Sérvia.

Mesmo sem forçar de forma muito efetiva, o conjunto de Kasper Hjulmand cheirou o golo em mais duas ocasiões: primeiro, com um excelente remate do criativo Eriksen, ao qual Rajkovic, respondeu com um desvio subtil para canto; depois, com um remate de Rasmus Højlund para nova intervenção do guardião adversário.

Assim, o intervalo chegou com o nulo no marcador.

Pressão insuficiente

Obrigada a reagir, a Sérvia mexeu para o arranque da etapa complementar, com Tadic e Vlahovic a serem chamados a cena.

Ainda assim, a equipa do ex-Sporting Gudelj, também ele titular, ficou muito aquém das expectativas. A primeira oportunidade de golo pertenceu mesmo à Dinamarca, com Jannik Vestergaard a subir à área num canto e a atirar para as mãos do guarda-redes adversário.

O melhor que a Sérvia conseguiu foi criar perigo por intermédio de Mitrovic e Milinkovic-Savic. No entanto, o remate do primeiro saiu ao lado, ao passo que o do segundo parou nas mãos de Kasper Schmeichel.

Desta forma, a Dinamarca carimbou a passagem aos oitavos-de-final- onde vai defrontar a Alemanha-, isto depois de terminar o grupo C no segundo lugar, e a Sérvia, última classificada do grupo, foi eliminada.