O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Matos Fernandes, referiu que “havendo no próximo orçamento de Estado o incentivo ao abate, será sempre na substituição de um veículo a combustão por um veículo elétrico.”

Esta era uma exigência do setor automóvel em Portugal, o regresso dos incentivos ao abate. O ministro abre a porta para isso, mas apenas no próximo orçamento do Estado, e nunca para trocar carros a gasolina ou gasóleo por outro igual. Será, sempre na troca de um modelo elétrico.

“O incentivo ao abate pode ser considerado no contexto do próximo Orçamento do Estado, mas em minha opinião nunca deve ser para substituir um veículo a combustão por outro igual.” Foram estas as declarações de Matos Fernandes, o Ministro do Ambiente e da Ação Climática, em entrevista ao jornal Eco/Capital Verde. Na mesma ocasião, o ministro revelou que os “cheques” para particulares comprarem veículos elétricos ainda estão disponíveis, mas que os destinados às empresas já esgotaram.

Veremos como é que o mercado reage e como é que as marcas com modelos híbridos também olham para esta ideia que deixa de fora muitos dos carros que são a maior fatia de vendas em Portugal.