Acabou o processo de testes, desenvolvimento e a validação dos sistemas de cada carro em julho e já começaram as entregas a cada um dos proprietários que pagaram 5 milhões de euros por casa unidade.

Sendo um carro incontornável para quem tem uma coleção de Bugatti – conforme diz Stephen Winkelmann, o CEO da casa de Molsheim – o Divo custa 5 milhões de euros, sem impostos, taxas e opcionais. Para o CEO da Bugatti, “o Divo é um marco na história da Bugatti já com 110 anos. O Divo entrará na história, juntamente com o Veyron e o Chiron. Começa aqui uma nova era na Bugatti, a era moderna da personalização. Com o Divo, criámos uma peça altamente personalizada de brilhante artesanato.”

O Divo está limitado a 40 unidades, está baseado no Chiron, mesmo que partilhe pouco com ele em termos de estilo, pois o Divo tem mais 90 kgs de carga aerodinâmica, sendo que a complexa traseira tem 44 barbatanas que criam um efeito especial.

O motor é o W16 com 8 litros, quatro turbos e 1500 CV com 1600 Nm, o que permite chegar dos 0-100 km/h em 2,4 segundos com uma velocidade limitada aos 380 km/h e um consumo misto de 22,5 l/100 km segundo o protocolo WLTP. E esta é a informação desnecessária do dia, pois quem gasta 5 milhões de euros num Divo não deverá estar preocupado com este tipo de frivolidades…