Estudo alerta para impactos do aquecimento global nos fungos de água doce

Um estudo internacional sobre a diversidade de fungos aquáticos em ribeiros de floresta, liderado por uma investigadora da Universidade de Coimbra (UC), concluiu que o aquecimento global pode induzir mudanças nas comunidades de fungos de água doce.

"O aquecimento global pode induzir mudanças nas comunidades de fungos de água doce, especialmente em comunidades dominadas por espécies adaptadas a ambientes mais frios ou a ambientes com oscilações mínimas de temperatura", afirma a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), numa nota enviada hoje à agência Lusa.

Além disso, o aquecimento global pode também "provocar uma alteração gradual nas teias alimentares, modificando os ciclos biológicos e geoquímicos e comprometendo os serviços do ecossistema e do bem-estar humano", alerta a mesma investigação internacional, liderada por Seena Sahadevan, do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) da FCTUC.