Portugal e Andorra aprofundam cooperação no turismo

Portugal e Andorra vão aumentar a cooperação no turismo, uma "área vital" para as economias nacionais, através da formação e intercâmbio de profissionais e estudantes, anunciaram hoje em Lisboa os chefes da diplomacia dos dois países.

Portugal e Andorra assinaram um memorando de entendimento que prevê a realização de intercâmbios de experiências de profissionais e de estudantes portugueses em Andorra e vice-versa, adiantou hoje o ministro das Relações Exteriores de Andorra, Gilbert Saboya, para quem o seu país tem muito a aprender com Portugal nesta área.

"Portugal tem um nível de serviço na hotelaria e na restauração que é muito elevado e que nós invejamos. Creio que há aqui uma possibilidade importante de mobilizar talento e de criar vínculos que podem dar como resultado o aparecimento de iniciativas empresariais", afirmou o governante andorrano, depois de ter sido recebido pelo ministro dos Negócios Estrangeiros português, no Palácio das Necessidades.

O ministro Augusto Santos Silva manifestou a vontade dos dois países de aprofundarem a cooperação bilateral, nomeadamente apostando no ensino e formação profissional no turismo, "uma área económica que é vital para ambos os países".

Também com o objetivo de incentivar as trocas comerciais, Portugal e Andorra assinaram um convénio que elimina a dupla tributação.

"É um acordo muito importante para dar segurança jurídica aos investidores andorranos em Portugal e aos investidores portugueses em Andorra e à numerosa comunidade portuguesa em Andorra", disse Gilbert Saboya.

As relações comerciais entre os dois países têm-se centrado muito na promoção dos produtos portugueses em Andorra, um país eminentemente turístico que representa um mercado de oito milhões de visitantes por ano.

Os dois governantes manifestaram a intenção de estender as trocas para outras áreas, em particular as tecnologias da informação e comunicação.

"Portugal tem uma força muito grande no setor agroalimentar, mas também nas novas tecnologias. Andorra é uma economia de serviços e portanto há aí possibilidades importantes", defendeu o ministro andorrano.

Sobre a comunidade portuguesa residente em Andorra, que representa 15% da população daquele país, Santos Silva agradeceu "o enorme nível de integração e o acolhimento que a sociedade e o Estado de Andorra têm proporcionado aos portugueses que para lá emigraram e lá se estabeleceram" e afirmou que "há já uma geração de cidadãos e cidadãs de Andorra cujos pais e mães são portugueses" e, desses, alguns já estão "ativamente envolvidos na vida política e democrática de Andorra".

Esta presença, salientou, "pode e deve ser aproveitada para estreitar os laços no domínio da educação e da cultura", lembrando que o português é ensinado em Andorra em todos os níveis de ensino.

A nível multilateral, os dois países participam na cimeira ibero-americana e, a esse propósito, defendem a "necessidade de aumentar a mobilidade de estudantes e professores" no espaço ibero-americano, realçou Santos Silva.

Por outro lado, Andorra tem em curso um processo de associação à União Europeia, "que Portugal apoia desde a primeira hora", disse o ministro português, enquanto Saboya destacou que Andorra procura "uma integração maior no mercado europeu, que vai permitir que os bens e serviços possam circular de forma mais fácil entre Andorra e os membros da União Europeia".

Também a nível internacional, durante o encontro, Santos Silva falou das candidaturas que Portugal tem a decorrer junto das Nações Unidas e o seu homólogo lembrou que "há uma boa tradição de apoios mútuos".

JH // EL

Lusa/fim