O Leon poderá ser uma enorme ajuda para Luca de Meo. Eu explico: o Leon foi feito debaixo da batuta do CEO da Seat e depois deste primeiro ensaio onde consegui fazer quase 200 km, posso dizer que o Leon é o melhor carro da casa espanhola e pode colocar em sentido o Golf. Quando a De Meo, quando ocupar o lugar de CEO da Renault, pode dizer aos franceses “amigos, é assim que quero o próximo Mégane!” Assim haja Megane..

Já perceberam que gostei, muito, do novo Seat Leon que deveria ter experimentado há algum tempo em Barcelona. Mas o maldito SARS Cov-2 viajou à velocidade da luz desde a China e só agora foi possível colocar as mãos no novo Leon. Impedida de fazer uma apresentação “normal”, a casa espanhola lembrou-se de me trazer o carro a casa, devidamente higienizado, deu-me três horas para andar por onde quisesse, regressando a casa onde me esperava uma pessoa que trocou o Leon por um simpático e excelente almoço.

Foi assim que começou este primeiro ensaio ao Seat Leon, no caso com nível de equipamento FR (o topo) e com o motor e-TSI com 1,5 litros e 150 CV.

Por onde é que posso começar? Talvez pelo exterior?

Primeiro tenho de dizer que sou um adepto do trabalho de Alejandro Mesonero-Romanos, que depois de tomar conta do lugar de Luc Donckerwolke, revolucionou o estilo da Seat. O Leon é filho dessa linguagem de estilo, deitando mão à grelha do Tarraco, o desenho base do anterior e às mais recentes tecnologias. Por isso mesmo a frente e a traseira estão equipadas com tecnologia LED.

A base é a plataforma MQB Evo e por isso o Leon ganhou volume: 4368 mm de comprimento, 1456 mm de altura e 1800 mm de altura, isto para o cinco portas. Contas feitas, são mais 86 mm no comprimento, menos 3 mm na altura, e oferece uma distância entre eixos de 2686 mm, mais 50 mm.

Olhado para o Leon, percebe-se que foi desenhado com bom gosto e face ao seu maior rival, o Golf, confesso que gosto mais do Seat. Olé!

Entrar no Leon é uma experiência agradável

A Seat seguiu o caminho da minimalização de comandos e no interior do Leon chegam os dedos de uma mão para contar os botões físicos. São três na consola central e… mais nada. O resto é controlado nas alavancas atrás do volante, nos botões do volante (aqui são muitos) e o resto são controlos hápticos.

O desenho do interior está dominado pelo ecrã central do sistema de info entretenimento com 10 polegadas, colocado de forma flutuante, pelo friso iluminado que ronda todo o interior passando pelos forros das portas e pelo tabliê. Os bancos são confortáveis e envolventes e tudo está à mão. A Seat aproveitou o tal friso luminoso que envolve todo o habitáculo para incluir funções importantes como o aviso da monitorização do ângulo morto e do assistente de saída de estacionamento. Ou seja, esses alertas luminosos não estão nos espelhos, mas nesse friso, iluminando-se em vermelho na zona de visão do condutor, de um lado e do outro.

A qualidade dos materiais é assinalável com um bom equilíbrio na utilização de plástico suave ao toque, plásticos mais modestos (poucos e em locais que dificilmente descobrirá), tecidos e pele. Tudo isto é rematado com uma bagageira com uma bagageira com 380 litros. Ligeira deceção aqui, pois o novo Leon tem mais distância entre eixos, mas não melhorou a bagageira.

A grande novidade é o facto do Leon ser um carro digitalizado e totalmente conectado. O Seat Digital Cockpit tem 10.25 polegadas e exibe os instrumentos e diversa informação, legível e com várias formas de a apresentar, desde os clássicos instrumentos redondos a visões mais futuristas. Os modelos de base têm um ecrã central de 8,25 polegadas, mas com o sistema de navegação, passa para 10 polegadas. O mesmo que estava no “meu” Leon FR. E aqui temos um festival de tecnologia: nevageção conectada 3D, controlo de voz, reconhecimento de gestos, ligação Apple Carplay e Android Auto, por cabo ou sem fios, enfim, o que possam imaginar. E se for à lista de opcionais, ainda encontra mais coisas giras para colocar no carro.

Híbrido suave debaixo do capô

O modelo que a Seat me disponibilizou para este primeiro ensaio era um FR, como já referi, mas debaixo do capô tinha uma das novidades da gana Leon, o bloco eTSI, aqui na versão mais espigada, o 1.5 litros com 150 CV. A tecnologia híbrida suave não tem novidades: tecnologia 48 volts no motor de arranque gerador e uma bateria de iões de lítio de 48 volts. Recupera energia nas travagens e ajuda o motor térmico no modo Sport (há o modo Eco, Comfort, Sport e Individual). A caixa é a DSG de sete velocidades.

Excelente comportamento

A linda e fabulosa Serra de Sintra estava linda, banhada pelo sol e só fiquei triste porque anda a tirar muitas árvores e alteram a paisagem. Mas a época de incêndios está aí e por isso, compreende-se. Mas continua a ser um local perfeito para testar um automóvel. E se a serra é como algodão, não engana, o Leon também não. Excelente comportamento, facilidade de condução, suspensões firmes sem prejudicarem o conforto, bancos que nos suportam bem e uma direção com pouca sensibilidade, mas rápida o suficiente para nos divertirmos e com o peso quase certo. O sorriso que aflorava os meus lábios era sinónimo de quilómetros bem passados ao volante do Leon.

E então, vale a pena encomendar um?

Olhe, caro leitor, eu diria que sim. Fiquei deveras impressionado pelo refinamento, pela qualidade a bordo, pela agradabilidade que encontramos dentro do Leon, do espaço ligeiramente majorado e da qualidade do comportamento. Acho que a Volkswagen deve ficar preocupada porque se a Seat “souber” vender o Leon, está aqui o grande rival para o (quase) perpétuo líder do segmento. Mesmo que a custar 33 mil euros esta versão eTSI, embora haja versões mais baratas a partir de pouco menos de 26 mil euros. E acredito que o 1.0 TSI na versão FR, que fica abaixo dos 30 mil euros, será a melhor opção da gama Leon. Mas isso… são contas de outro rosário que só saberei quando a Seat me colocar nas mãos esse carro.

O Seat Leon 1.5 eTSI FR DSG 150 CV que me foi disponibilizado tinha um completo equipamento, muito por culpa de alguns opcionais.Entre eles, a Connectivity Box (carregador por indução + Amplificador de sinal Móvel) e Forra do Teto preto, Câmara Traseira e Pacote Dinâmico e de Conforto (com perfil de condução SEAT + DCC + direção progressiva + Sport HMI), Pacote Segurança & Condução (em combinação com Sistema de Navegação Plus 10″) e Roda suplente de 18″, Park Assist + Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e Iluminação interior ambiente envolvente LED, Sistema Keyless avançado com função Safe e jantes de liga leve Performance 18″, Seat Full LED com ajuste automático dos faróis(Faróis LED + Farolins traseiros Full LED com luz dinamica + Welcome light) e Cartografia para Europa com Mapcare,Seat Connect Gen3 (Segurança & Serviços e Acesso Remoto para Sistema de Navegação) e Seat Connect Gen3(Media&Internet), Alarme com função Safe esistema de navegação Plus 10″.