Moto3: Jorge Martín marca território em Jerez

11 pilotos separados por menos de um segundo

Igualmente para os pilotos de Moto3 estão também encerrados os testes oficiais de pré-temporada, que tiveram o seu epílogo nestes três dias de trabalho no circuito de Jerez.

Hoje o dia ficou marcado por condições mistas (chuva voltou a aparecer), situação que reduziu drasticamente a acção em pista, levando mesmo alguns a pilotos a nem saírem das boxes e a que terceira e última sessão do dia fosse cancelada por decisão da IRTA, os organizadores dos testes. Chuva essa que foi uma constante durante a pré-época e naturalmente prejudicou o trabalho a desenvolver por pilotos e respetivas equipas.

No final das contas o melhor tempo ficou para Jorge Martín, piloto que hoje não rodou e mostrou mais uma vez que é bem capaz de ser o mais veloz do atual plantel de Moto2 ou não tivesse, em 2017, sido o recordista de poles. Ontem, quando os pilotos obtiveram os seus melhores registos, o homem da Gresini rodou em 1m45.945s.

Martín foi o único a entrar no segundo 45 nestes ensaios. O piloto de Madrid  ficou a pouco menos de meio segundo do melhor tempo, nesta pista, nos testes de fevereiro, que foi da autoria de Tony Arbolino e na altura ficou mesmo abaixo do recorde oficial (1m46.004s) da volta mais rápida do Moto3, em Jerez, tal como este tempo de Jorge Martín.

No segundo lugar ficou o renascido Enea Bastianini, que tem vindo a mostrar a cada sessão a sua boa adaptação à Kalex da Leopard Racing, depois de em 2017 ter estado muito apagado ao serviço da Estrella Galicia. O transalpino foi 0.101s mais lento do que Jorge Martín. A terceira posição foi para Arón Canet, que no primeiro dia de trabalho havia sido o mais veloz. Canet ficou a 0.262s do primeiro posto.

Seguiram-se Fabio di Giannantonio e Marco Bezzecchi, que assim colocou no top cinco uma KTM. Bezzecchi figurou sempre entre os primeiros nos testes e está a suscitar alguma curiosidade para aquilo que poderá vir a fazer em 2018, agora que defende as cores da Prüstel GP. Referência ainda para o positivo sexto lugar do estreante Alonso López que em Jerez andou sempre bem.

No campo das desilusões destaque para os pilotos da Sky VR46, Dennis Foggia e Nicolò Bulega (ainda à procura da melhor forma física) que ficaram fora do top 15 e a mais de um segundo de Jorge Martín. Neste lote incluímos também Tony Arbolino, que depois do brilharete nos testes de fevereiro, desta vez foi apenas 25º a quase dois segundos do melhor tempo.

Classificação Final:

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.