Moto2: Miguel Oliveira fecha testes em 8º

Sam Lowes deixa Jerez com o melhor tempo

Estão encerrados os testes de pré-temporada, pelo que acabou o tempo de experiências e daqui para a frente será sempre a valer, tendo o campeonato início marcado para a próxima semana no circuito de Losail (Qatar).

Durante três dias o circuito de Jerez acolheu os derradeiros ensaios da pré-temporada, que no entanto foram marcados pela chuva, característica que esteve sempre presente ao longo desta pré-época, curiosamente sempre em Espanha (Valência e Jerez), e acabou por prejudicar o trabalho de pilotos e respetivas equipas.

Hoje o dia ficou marcado por condições mistas, situação que reduziu drasticamente a acção em pista levando mesmo alguns a pilotos a nem saírem das boxes.

Nesse lote esteve incluído Miguel Oliveira que finalizou os ensaios de Jerez com o oitavo melhor tempo. Tal como os restantes pilotos, Oliveira assinou ontem o seu melhor registo quando rodou em  1m42.395s, marca obtida na segunda sessão do dia e que ficou a pouco mais de 0.4s do tempo que obteve, nesta pista, nos testes oficiais de fevereiro. Durante estes ensaios, em Jerez, o piloto da Red Bull KTM Ajo não pareceu estar muito preocupado em obter um tempo de referência, mas sim em realizar o sempre importante trabalho de afinação da moto, sempre a pensar num longo e exigente ano de Grandes Prémios.

Para além disso o luso e os restantes pilotos rodaram já com motores com a especificação final que vão utilizar nas três primeiras provas do ano, pelo que qualquer excesso pode terminar numa indesejada quebra do propulsor. A isto junta-se ainda o normal ‘esconder do jogo’ aos rivais, agora que estamos em cima do começo da época.

KTM sobressai

Apesar de Miguel Oliveira ter estado um pouco resguardado a verdade é que a KTM deu nas vistas em Jerez e superiorizou-se à rival Kalex, deixando estes ensaios com três motos na três primeiras posições. Uma importante marcação de território e exibição da valia do protótipo construído em Mattighofen.

Sam Lowes, de regresso em 2018 ao Moto2, foi o mais veloz com o tempo de 1m41.823s e foi secundado pelo seu companheiro de equipa na Swiss Innovative Investors, Iker Lecuona. Os dois pilotos da equipa suíça parecem ter encontrado uma boa afinação para a moto austríaca, sendo que no caso de Lecuona esta é uma grande surpresa, pois nunca o piloto espanhol esteve em posições tão cimeiras em Moto2.

No terceiro posto ficou Brad Binder, colega de Miguel Oliveira, e melhor representante da KTM Ajo. Com o mesmo tempo do sul-africano ficou Francesco Bagnaia, outros dos homens que é figura habitual entre os primeiros nesta categoria. Isto nuns testes onde os quatro primeiros rodaram abaixo do recorde oficial da volta mais rápida do Moto2 em Jerez que está na posse de Álex Márquez (1m42.080s) desde o ano passado.

Xavi Vierge surpreendeu e foi quinto na frente de Álex Márquez, o único representante da Marc VDS devido à lesão de Joan Mir. Nota ainda para o bom desempenho de Romano Fenati, que foi sétimo e o melhor estreante em pista. Aos poucos o piloto italiano parece estar a aprender os segredos de uma nova realidade, depois de nos últimos anos ter competido em Moto3. Quem esteve uns furos abaixo foi o compatriota Lorenzo Baldassarri, que brilhou nos testes de fevereiro, mas desta vez não foi além do 11º lugar final com a Kalex da Pons Racing.

De referir que no final da pré-época 20 pilotos ficaram separados por menos de um segundo, o que deixa antever novamente uma temporada muito equilibrada e com grandes batalhas em pista.

Classificação final:

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.