Pela voz de Markus Schafer, patrão do departamento de pesquisa e desenvolvimento da Mercedes, a casa de Estugarda não acredita nos combustíveis sintéticos.

As afirmações foram feitas numa entrevista concedida à revista britânica Autocar. Para Schafer, o compromisso da Mercedes com a mobilidade elétrica e a eletrificação da gama e por isso mesmo não acredita que os combustíveis sintéticos vão tomar o lugar da gasolina e do gasóleo.

“Nós fizemos uma decisão clara” explica Markus Schafer, e o caminho da Mercedes “é elétrico. Quando desenvolvemos novas plataformas, pensamos em eletricidade primeiro. Temos de controlar permanentemente os regulamentos e o comportamento dos clientes, mas esta é a nossa orientação.”

Se a Mercedes é cética face á utilização dos combustíveis sintéticos, outros construtores como o grupo VW pensam de forma diferente. Matthias Rabe, o responsável técnico da VW, diz que os combustíveis sintéticos feitos cm base em biomassa e outros materiais vão permitir que no futuro sejam feitos motores de combustão interna limpos. A Mazda, por exemplo, está a fazer um estudo sobre reciclagem de combustível feito a partir de microalgas. Até a McLaren, pela voz de Jens Ludman, o COO da casa de Woking, lembra que a empresa está a pensar desenvolver um desportivo que ande com combustível sintético.