Dakar, Stéphane Peterhansel: “Estar em La Paz com 27 minutos de avanço é muito mais do que eu esperava”

Stéphane Peterhansel vai para a segunda metade do Dakar com um avanço de 27 minutos... e sem Loeb

Foi um longo dia atrás do volante para todas as equipas, numa altura em que o Rali Dakar 2018 entra nas exigentes Etapas de elevada altitude da Bolívia. Rumando à capital do país, por caminhos muito diferentes dos que se haviam visto até aqui, a Peugeot manteve o controlo da prova, alcançando a sua quarta vitória em etapas nesta edição, desta vez através de Carlos Sainz – a sua primeira este ano – reforçando a posição da equipa com uma dobradinha nesta especial, resultado semelhante ao que tem na Classificação Geral.

Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret também evitaram contratempos e, numa combinação de consistência e fiabilidade, terminaram a Especial com o 2º melhor tempo e consolidaram o 1º lugar da Classificação Geral. A sua atual vantagem é de cerca de 30 minutos, numa altura em que há, pela frente, toda uma semana de intensa competição: “Foi um dia completamente diferente, numa especial mais simples e de fácil navegação. O principal problema foi a altitude, que obviamente suga um pouco da potência aos motores, para além de que o cérebro também funciona um pouco como que em câmara lenta, pelo que foi um pouco complicado. Foi um dia de transição, entre deserto e montanha. Pela minha parte não corri quaisquer riscos, pois o mais importante era chegar em segurança à Bolívia. Estar em La Paz com 27 minutos de avanço é muito mais do que eu esperava” disse Stéphane Peterhansel.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.