Dakar, Sébastien Loeb: “É agora ou nunca…”

Sébastien Loeb tem, em teoria, a última oportunidade de vencer o Dakar...

Sébastien Loeb vai para o seu terceiro Dakar, e se desde cedo nunca ninguém duvidou da sua velocidade, que mostrou inúmeras vezes nos ralis, faltava saber se era capaz de se adaptar rapidamente ao estilo de pilotagem que exige o TT em geral e o Dakar em particular. Chegou mesmo a pensar-se se iria vencer logo na sua primeira participação, tal com tinha feito Ari Vatanen em 1987 (com um Peugeot 205), mas num setor de dunas da etapa de Belén, o piloto da Alsácia cometeu um erro e capotou violentamente. Primeira lição no Dakar!

O ano passado, a aprendizagem de Loeb e Daniel Elena já estava feita, e provou-o em pista ao lutar metro a metro com Stéphane Peterhansel até ado dia da chegada, mas, ironicamente, foi precisamente nos pisos que melhor conhecia dos tempos do WRC, junto a Córdoba, que o sonho de vencer se esfumou com um furo. Depois, nem no Rali Rota da Seda ou em Marrocos logrou obter a sua primeira vitória no TT. Agora, com a Peugeot de saída do Dakar…

“para mim, a vitória é agora ou nunca, ou algo parecido com isso. É a minha última oportunidade para conseguir vencer esta prova. O Daniel (Elena) fez um bom trabalho ao nível da navegação. É motivante. Sabemos que a vitória está ao nosso alcance e garanto que vou partir com esse objetivo. Neste momento há muitos parâmetros a ter em linha de conta num Dakar… É longo e corremos sempre o risco de tudo perder por muito pouco, principalmente devido ao regresso em força das dunas. Para a imagem que as pessoas têm de um rali-raid, isto é positivo, mas, em contrapartida, é um tipo de terreno no qual não tenho realmente grande experiência. É um tipo de percurso que não me favorece. No que respeita ao carro, está muito mais estável, mais agradável de conduzir e com melhor amortecimento. Dá-nos mais confiança e, por isso, poderemos atacar com mais força. Estou muito satisfeito com a forma como nos adaptámos a esta disciplina, embora ache que temos de ser um pouco mais regulares, para conseguirmos chegar à vitória. Ao longo deste ano (Dakar 2017, Rota da Seda, Marrocos), provámos que estamos mais perto do objetivo. Dito isto, nós só temos feitos seis ralis TT e, logicamente, sempre teremos um pouco menos de experiência em relação aos outros.”

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.