Combustíveis vão subir pela quinta semana. Gasóleo vai passar dos 1,40 euros por litro

Será a quinta semana de subida dos preços do gasóleo e da gasolina. Aumentos deverão ser de meio cêntimo por litro. Escalada dos combustíveis está a assustar setor dos transportes.

Será a quinta semana de subida dos preços do gasóleo e da gasolina. Aumentos deverão ser de meio cêntimo por litro. Escalada dos combustíveis está a assustar setor dos transportes.

Não espere pela próxima semana para abastecer o depósito do seu carro. Os combustíveis vão ficar mais caros a partir da próxima segunda-feira. E tanto o preço do gasóleo como da gasolina preparam-se para aumentar pela quinta semana consecutiva. Vão avançar para máximos de mais de dois meses.

De acordo com fonte do setor, o litro de diesel, o combustível mais usado pelos portugueses deverá ficar meio cêntimo mais caro na próxima semana. Confirmando-se este cenário, isso atiraria o preço médio do gasóleo nos postos de Portugal Continental para os 1,307 euros, um máximo desde fevereiro, segundo os dados da Direção Geral de Energia. Mas há bombas em que o litro vai custar mais de 1,40 euros.

Em relação à gasolina, há margem para um aumento também na casa do meio cêntimo. Neste caso, o litro subiria para os 1,519 euros, o valor mais alto desde janeiro, também segundo as estatísticas oficiais.

A evolução dos preços dos combustíveis acompanha as variações do petróleo e derivados nos mercados internacionais. Na última semana, tanto o barril de Brent (Londres) com o barril de crude WTI (Nova Iorque) valorizaram mais de 1% para máximos de mais de três anos perante a expectativa de a OPEP e um grupo de países produtores fora deste cartel, como a Rússia, de prolongarem os cortes na produção desta matéria-prima para lá do final deste ano, tal como está acordado atualmente.

CDS quer acabar com adicional, ANTRAM ameaça aumentar preços

Face à escalada dos preços dos combustíveis, o CDS-PP anunciou esta semana que vai propor a imediata revogação da portaria do Governo que criou o adicional ao imposto sobre os combustíveis (ISP), tendo em vista repor o nível de fiscalidade anterior a 2016.

A proposta faz parte de um conjunto de “medidas alternativas” incluídas na resolução dos centristas ao Programa de Estabilidade apresentado há uma semana pelo Governo de António Costa.

“Uma dessas alternativas a apresentar pelo CDS-PP é a revogação imediata desta portaria que está a pesar muito no bolso das famílias e das empresas portuguesas. Queremos que seja imediatamente revogado este aumento adicional de ISP, permitindo que as famílias e empresas tenham alguma folga”, declarou Pedro Mota Soares.

Por outro lado, também o setor dos transportes faz contas à vida e ameaça aumentar os preços dos seus serviços caso o Governo não tome medidas para segurar as empresas.

“A ANTRAM é obrigada a contestar a escalada do preço dos combustíveis registada nos últimos meses e a exigir que o Governo adote medidas que não comprometam, uma vez mais, a viabilidade da atuação do setor que representa”, sublinha a entidade em comunicado.

Para a associação do setor dos transportes, a subida dos preços dos combustíveis representa uma ameaça à sustentabilidade das empresas que, sem uma solução promovida administrativamente pelo Executivo, vão ter de “rever e consequentemente aumentar as tarifas”.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.