Estreia moderna da ópera "L'Isola Disabitata" de David Perez no Palácio de Queluz

A ópera "L'Isola Disabitata - Serenata per musica", de David Perez, sobe à cena, em estreia moderna, pela orquestra Divino Sospiro, sob a direção musical de Massimo Mazzeo, na sexta-feira, no Palácio de Queluz, nos arredores de Lisboa.

Esta serenata, com libreto de Pietro Metastasio, foi composta em 1752 para ser apresentada no Palácio de Queluz, na altura residência do infante D. Pedro, filho de D. João V e que casou com a rainha D. Maria I, ambos "alunos privilegiados de David Perez, que estabeleceram com ele uma estreita ligação", segundo fonte da organização.

"Desta obra restam atualmente apenas duas partituras manuscritas, uma encontra-se na biblioteca do Palácio Nacional da Ajuda, e a outra encontra-se na Biblioteca do Conservatorio di Musica San Pietro a Majella, em Nápoles", terra natal de Perez, disse à Lusa a mesma fonte.

A serenata é apresentada em versão de concerto, e contará com a participação das sopranos Joana Seara e Francesca Aspromonte, o "sopranista" Francesco Divito, e o tenor Bruno Almeida.

Joana Seara tem interpretado inúmeros papéis de Monteverdi a Puccini, de Verdi a Francisco António de Almeida; Francesca Aspromonte, por seu turno, já se apresentou na Opéra Royal de Versailles e na Ópera de Vichy, em França, no Auditório Parco della Musica, em Roma, no Bozar de Bruxelas e na Ópera Nacional de Montpellier, no sul de França, além de ter participado nos festivais de Ambronay e Aix-en-Provence, em França, e Musikfest, em Bremen.

"Francesco Divito, um caso extraordinário por nunca ter sofrido nenhuma alteração de voz, tem uma voz natural de soprano, com o poder de pulmões masculinos, interpretará a personagem de Enrico", segundo a mesma fonte.

Bruno Almeida é um dos fundadores do Projeto Alba, que se dedica à promoção do canto lírico e da guitarra portuguesa, tendo já colaborado com o Coro do Teatro Nacional de São Carlos.

"Relativamente às serenatas compostas para o Palácio de Queluz, género nacional por excelência, esta é a primeira de várias que se pretende recuperar e apresentar", afirmou a mesma fonte, segundo a qual, "este projeto de investigação prevê o estudo sobre o contexto de criação e execução das obras e a sua edição crítica", a cargo Iskrena Yordanova, investigadora do Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal com sede no Palácio Nacional de Queluz.

O compositor David Perez (1711-1778) foi "um dos compositores mais relevantes no panorama musical europeu, compositor da Real Câmara e mestre de suas altezas reais, de 1752 a 1778, que dirigiu a vida musical da corte portuguesa até à sua morte".

Segundo a mesma fonte a produção musical de Perez "influenciou a maioria dos compositores portugueses, como João Cordeiro da Silva, João de Sousa Carvalho e Luciano Xavier dos Santos".

O concerto realiza-se na sexta-feira às 18:00, na Sala do Trono do Palácio de Queluz.

NL // CC

Lusa/Fim

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.