Venda do banco Efisa: Prazo para entrega de propostas prolongado

As candidaturas para comprar o banco Efisa devem ser apresentadas até dia 1 de março, e as entidades que sejam consideradas qualificadas têm depois até 26 de março para entregar uma proposta.

As candidaturas para comprar o banco Efisa devem ser apresentadas até dia 1 de março, e as entidades que sejam consideradas qualificadas têm depois até 26 de março para entregar uma proposta.

O processo de venda do banco Efisa sofreu mais um atraso. O Estado, através da Parparticipadas, publicou esta sexta-feira um anúncio em que prolonga por mais tempo o prazo para a entrega de propostas do concurso público de venda do banco. Os interessados têm agora até dia 1 de março para apresentarem as suas candidaturas e até ao dia 26 do mesmo mês para entregar uma proposta preliminar.

Este adiamento acontece depois de a 23 de janeiro ter sido publicado em Diário da República o lançamento do concurso de venda do Efisa pela holding estatal Parparticipadas, sociedade criada para ficar com ativos do BPN após a nacionalização deste, e que ficou com os ativos que o angolano BIC não adquiriu ao ex-BPN. A mudança de datas é justificada por “alteração ao programa do concurso”.

“Na sequência do anúncio de procedimento nº353/2018, publicado no Diário da República, II Série, nº 16, de 23 de janeiro de 2018, avisam-se os interessados que, em virtude de alteração ao programa de concurso, o prazo para a apresentação de candidaturas foi prorrogado por um período de 17 dias, terminando às 13h00 do 20º dia posterior à publicação deste anúncio no Diário da República”, diz um anúncio publicado nesta sexta-feira na imprensa nacional. A apresentação de candidaturas passa assim a ser possível até 1 de março.

O mesmo anúncio adia em 17 dias também o prazo para a entrega de propostas preliminares e finais. As novas datas passam a ser 26 de março e 10 de abril, respetivamente.

Este concurso surge depois de, em meados de dezembro, num comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Parparticipadas admitir ter por objetivo concluir o concurso, com a adjudicação da proposta vencedora, num prazo de “três a quatro” meses.

O anúncio de venda ocorre depois de ter sido cancelada em abril a venda do Banco Efisa à empresa Pivot, acordada no final de 2015, após ter terminado o prazo para a concretização da operação.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Desporto, Atualidade, Entretenimento, Tecnologia, Lifestyle e Motores.