Receitas caem, mas Cofina consegue mais lucros

A dona do Correio da Manhã registou uma quebra de 8,9% nas receitas. Ainda assim, fruto da queda dos custos financeiros, os lucros aumentaram.

A dona do Correio da Manhã registou uma quebra de 8,9% nas receitas. Ainda assim, fruto da queda dos custos financeiros, os lucros aumentaram.

A Cofina conseguiu aumentar os lucros. O resultado líquido subiu 17% no ano passado, face a 2016, para 5,1 milhões de euros, anunciou a dona do Correio da Manhã e do Jornal de Negócios, entre outros títulos de media.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Cofina adianta que “as receitas totais atingiram 91,1 milhões de euros face aos 99,9 milhões registados em 2016”, o que representa uma descida de 8,9%, “com as receitas de circulação a diminuírem 10,4% [para 45,8 milhões de euros] e as de publicidade 5,9% [31 milhões de euros]”. Já as receitas de produtos de marketing alternativo reduziram-se em 10,3%.

No ano passado, os custos “apresentaram uma redução de 10,4% para os 77,4 milhões de euros, fruto da reestruturação realizada”, acrescenta o mesmo comunicado.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) diminuiu 0,8% para 13,6 milhões de euros. “O EBITDA após custos de reestruturação registado no período em causa foi de 11,2 milhões de euros, o que corresponde a um decréscimo de cerca de 17% face ao ano anterior”, refere a empresa presidida por Paulo Fernandes. Os custos financeiros encolheram em 42,9%, ajudando ao aumento dos lucros.

“Em 31 de dezembro de 2017, a dívida líquida nominal da Cofina era de 49,6 milhões de euros, o que corresponde a um decréscimo de oito milhões de euros relativamente à dívida líquida nominal de 57,6 milhões de euros registada do final do exercício de 2016”, acrescenta.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.