Presidente da Segurança Social e mais cinco pessoas proibidos de ocupar cargos em bancos em Moçambique

O Banco de Moçambique proibiu o presidente do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), Francisco Mazoio, e mais cinco pessoas de exercerem cargos em bancos, devido ao seu papel na falência do Nosso Banco, anunciou hoje o regulador moçambicano.

Um comunicado do Banco de Moçambique refere que, além de Francisco Mazoio, estão inibidos de ocupar cargos em órgãos sociais de instituições financeiras Mariano Matsinhe, um quadro histórico da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, e Adelino Buque, empresário e membro de direção da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), a maior agremiação patronal no país.

O regulador moçambicano proibiu ainda do exercício de funções de direção em bancos Tomás Sando, Mussa Tembe e Jaime Mutolo.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.