MNE afirma que falta de acordo para Brexit limita direitos de portugueses no Reino Unido

No caso de 'Brexit' sem acordo, só os portugueses que tenham entrado no Reino Unido até 29 de março podem obter residência, quase menos dois anos que o período anteriormente previsto, advertiu hoje o chefe da diplomacia portuguesa.

"Se não houver acordo, a data-chave é 29 março, a partir da qual o Reino Unido se tornará um país terceiro", explicou Augusto Santos Silva à imprensa em Lisboa.

A data da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) torna-se a data-chave para a formação de direitos, enquanto que, nos termos do acordo negociado com a UE, podiam pedir o estatuto de residente os portugueses que entrassem no país até ao fim do período de transição, 31 de dezembro de 2020, explicou.

Augusto Santos Silva falava à imprensa em Lisboa para apresentar o plano de contingência sobre direitos dos cidadãos para o caso de o acordo entre a UE e o Reino Unido ser chumbado no parlamento britânico na votação marcada para a próxima terça-feira.

MDR // ANP

Lusa/fim

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.