Costa: Estabilidade na Autoeuropa “é da maior importância” para o país

O primeiro-ministro sublinha a necessidade de garantir a produção do novo modelo da Volkswagen. Atividade na Autoeuropa é "da maior importância para o país".

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou, esta quinta-feira, que a estabilidade na Autoeuropa é importante para a produção de um novo veículo, defendendo que a empresa é “da maior importância” para o crescimento económico do país.

Referindo aos jornalistas que não deve interferir no processo negocial que está a decorrer na empresa, António Costa sublinhou que “é inequívoco que é da maior importância para o país” a atividade da Autoeuropa.

Para o primeiro-ministro, que falava na Póvoa de Varzim à margem da visita da AgroSemana – Feira Agrícola do Norte, a Autoeuropa tem sido “um excelente exemplo de diálogo social”, sendo neste momento importante garantir a produção do T-ROC, o novo veículo que substituirá o modelo Sharan, cuja produção será descontinuada.

Funcionários falam em “família”. Autoeuropa em “crescimento”

Os trabalhadores da Autoeuropa regressaram esta quinta-feira ao trabalho, depois da greve histórica de quarta-feira contra a obrigatoriedade de trabalharem ao sábado, a primeira paralisação por razões laborais desde que a empresa iniciou a atividade há cerca de 27 anos. Os sindicatos mais representativos na Autoeuropa fizeram um “balanço positivo” da paralisação e recusam entrar “em guerras de números” sobre a adesão à greve.

Apesar da greve, administração, trabalhadores e sindicatos reafirmaram a convicção de que continua a ser possível um acordo para a implementação dos novos horários de laboração contínua, designadamente no que respeita ao trabalho aos sábados. O trabalho aos sábados esteve na origem da paralisação e levou à demissão da atual Comissão de Trabalhadores após a rejeição, pelos trabalhadores, do pré-acordo que tinha negociado com a empresa.

Autoeuropa reúne-se com os sindicatos a 7 de setembro

De acordo com o novo modelo de horários que deveria ser implementado a partir de novembro, cada trabalhador iria rodar nos turnos da manhã e da tarde durante seis semanas e faria o turno da madrugada durante três semanas consecutivas, com uma folga fixa ao domingo e uma folga rotativa nos outros dias da semana.

A administração da Autoeuropa promete ouvir os sindicatos no próximo dia 7 de setembro.