O Conselho Mundial da FIA protelou o anúncio das datas das restantes provas do WRC 2020, mas já confirmou nove ralis do calendário de 2021, Monte Carlo, Finlândia, Portugal, Suécia, Safari, Espanha, Itália, Japão e Austrália, ainda que sem datas. Olhando para as provas que foram avançadas, ficamos a saber que vai haver ralis com grande tradição do Mundial de Ralis que provavelmente não vão conseguir o seu lugar em 2021, até porque neste momento a maior probabilidade é que o calendário seja novamente reduzido, e com isso os orçamentos, sendo esta a forma encontrada para preparar o melhor possível a entrada das novas regras em 2022, bem como combater os efeitos económicos de toda esta questão da Covid-19.
O AutoSport sabe que as equipas querem uma redução algo drástica no número de provas, mas o Promotor pondera 12. Nove estão confirmadas, pelo que estamos a falar para um máximo de três lugares (se forem 12 provas) em 2021. E quais são os ralis que estão em risco para 2021?
México, Argentina, Chile, Nova Zelândia, Turquia, Grã-Bretanha e França.
Analisando caso a caso, já se sabia que depois da ausência em 2020, devido ao sistema de rotatividade que nunca foi do agrado de gregos nem troianos, a saída da Alemanha para a entrada da Espanha, já era esperada. Só que a Senhora Angela Merkel está a estragar as contas aos alemães que provavelmente – quase de certeza – vão ficar sempre prova este ano, e por isso arriscam-se a ficar, pelo menos, dois anos fora do WRC. Deixando este tema da Alemanha para outra altura, vamos fazer um exercício: nove ralis estão (praticamente) confirmados para 2021, restam portanto entre um (se forem apenas 10 ralis) dois ou três lugares. Para os ocupar temos: México, Argentina, Chile, Nova Zelândia, Turquia, Grã-Bretanha e França.

Ordenando as provas confirmadas tendo em conta o que é o calendário habitual, ficamos assim:
Monte Carlo
Suécia
Portugal
Itália
Safari
Finlândia
Espanha
Japão
Austrália

Temos ainda:
México
Argentina
França
Chile
Nova Zelândia
Turquia
Grã-Bretanha

Já percebeu que a ‘coisa’ não vai ser fácil?
Provavelmente, entre México, Argentina e Chile será escolhida uma. Continente americano. França será quase certa. Havendo Austrália, Nova Zelândia, vai ter que esperar novamente. Sobram Turquia e Grã-Bretanha. Da Turquia vem muito dinheiro. Da Grã-Bretanha, toda a tradição.
Sabendo que muita água vai correr sob as pontes, talvez pudesse ser algo assim, mas sabendo que é fácil arranjar argumentos para uma coisa ou outra. Por exemplo, o México, a única prova no norte do continente americano. O Chile provou poder ser um bom rali, mas com Argentina por perto vai sempre ter dificuldades em caso de ‘empate’. A França é um caso sensível. Que rali para a sua prova Mundial? Penso que o caso mais complicado será o dinheiro da Turquia face à tradição da Grã-Bretanha…

Monte Carlo
Suécia
Argentina
Portugal
Itália
França
Safari
Finlândia
Espanha
Grã-Bretanha
Japão
Austrália