Foi com muita surpresa que se ficou a saber que o CEO da Ferrari, Louis Camilleri, anunciara a sua saída do construtor italiano de automóveis desportivos, e com efeito imediato. As razões aduzidas são “pessoais”, e esta foi uma decisão que causa surpresa a todos os níveis. A decisão de Camilleri surge depois do executivo ter sofrido problemas de saúde, o que tornou necessário a sua hospitalização devido à Covid-19, nas últimas semanas, revelou uma fonte da empresa. Camilleri está a recuperar em casa, mas segundo se sabe não foi essa a causa da sua decisão.

A Ferrari revelou que o seu presidente, John Elkann, assumiria o papel de CEO durante um período provisório de transição até que seja encontrado o sucessor de Camilleri, que também abandona a sua posição no conselho de administração da Philip Morris.

Recorde-se que Camilleri assumira o papel de CEO da Ferrari no verão de 2018, na sequência da morte do antigo CEO da Ferrari, Sergio Marchionne: “A Ferrari fez parte da minha vida e servir como seu CEO tem sido um grande privilégio. A minha admiração pelos extraordinários homens e mulheres de Maranello e pela paixão e dedicação que eles aplicam a tudo o que fazem, não conhece limites. Estou orgulhoso das numerosas realizações da empresa desde 2018 e sei que os melhores anos da Ferrari ainda estão para vir”, disse Louis Camilleri.