Miguel Santiago Duarte teve uma estreia espetacular no seu começo internacional nas Supersport 300 no Estoril, perante o azar de Alonso, que foi atirado ao chão da liderança da corrida “Última Chance”

Todos os três portugueses presentes nas SuperSport 300 correram, tendo-se revelado no entanto impossível conseguir a qualificação para a corrida principal, apesar de Alonso ter um excelente oitavo lugar na terceira fila da grelha, que ainda lhe ia dar uma hipótese de ser repescado para a corrida principal, com Fragoso (abaixo a receber conselhos do seu manager na equipa Machado Came) na fila seguinte em 11º e Duarte a impressionar na sua estreia internacional no mundial de 13º na quinta fila.

Os jovens portugueses estavam em muito boa companhia nesta corrida de repescagem com nomes estabelecidos como De La Vega da Yamaha ou  Brianti da Kawasaki, ou o irlandês MacManus também na grelha, este último por sinal a arrancar bem atrás dos pilotos nacionais apesar dos conselhos de Leon Haslam durante a sua sessão de qualificação.

Na corrida, Alonso (abaixo, a consultar a telemetria com a sua especialista Inês Pequeno) foi para a frente, em luta com um grupo de três pilotos, e após várias ultrapassagens, com as outras motos mais rápidas na reta, regressava sempre ao comando.

Porém, na volta 4, à entrada da variante, La Vega e o Belga Vleesschawer enrolaram-se à sua frente, e Alonso foi vítima da queda chocando com as motos caídas, felizmente sem consequências…  

Assim, Santigo Duarte foi o melhor português, ao acabar em sétimo na corrida mesmo à frente de Pedro Fragoso em 8º…