Os pilotos do Mundial de SBK completaram o segundo e último dia do Teste Oficial de Portimão no Autódromo Internacional do Algarve em Portugal com temperaturas do asfalto a chegar quase aos 50 graus no período da tarde.

O piloto da Yamaha Pata, Alex Lowes, foi o mais rápido no final do Dia 2, depois de ter marcado o tempo mais rápido em 1:41.153 de manhã com pneus de qualificação. Enquanto tentava novos componentes de chassis e diferentes pneus macios, o piloto britânico também teve tempo para avaliar a sua condição física.

Durante as férias, Lowes fez uma cirurgia para resolver um problema de tendinite nos braços, mas depois de dois dias de testes, viu-se que está em forma e pronto para a ronda de Setembro.

Do outro lado da garagem, foi um dia agitado para Michael van der Mark, que sofreu um pequeno acidente na FP1 e  dois problemas técnicos na FP2. Apesar disso, o holandês não pode ficar desapontado com seus resultados, já que marcou o quarto tempo de volta mais rápido com os pneus de qualificação.

Foi um dia forte também para os pilotos da Kawasaki. Jonathan Rea fechou novamente como segundo mais rápido, apenas 0,218s atrás de Lowes, com o seu melhor tempo de volta melhorado em mais de um segundo comparado ao primeiro dia.

O seu companheiro de equipe Leon Haslam foi sexto, não muito longe do topo da tabela de tempos. Embora ambos os pilotos tenham passado o Dia 1 concentrados no pacote geral, depois trabalharam principalmente na preparação para a próxima jornada de SBK aqui em Portugal.

Depois de se sentir mal durante a noite, Toprak Razgatlioglu (Puccetti Racing) teve que interromper o último dia de testes. Terceiro mais rápido, depois de dois dias positivos, o piloto turco preparou-se para o fim de semana da corrida com diferentes estratégias de qualificação.

Foi também um dia mais curto para Álvaro Bautista (Ducati Aruba) que devido a dores no ombro também decidiu abandonar a FP2.

O espanhol completou o Teste de Portimao em nono, à frente de Michael Ruben Rinaldi (Ducati Barni), que sofreu uma pequena queda sem consequências no final do FP2. O italiano precedeu a outra Ducati oficial de Chaz Davies, que tinha um braço oscilante diferente e outras peças novas para testar, fazendo o Galês dizer que “parevia outra moto”. Completando o grupo de pilotos da Ducati, Eugene Laverty (Team Goeleven) terminou em oitavo.

Loris Baz, da Yamaha Ten Kate, foi o piloto a realizar o maior número de voltas – 146 ao longo dos dois dias. O francês encontrou uma melhoria no seu ritmo, com o quinto tempo mais rápido em 1:41.718. Foi um teste movimentado para Baz, que testou novos compostos de pneus e trabalhou para melhorar os pontos fracos de sua Yamaha YZF R1.

Continuando com a sua agenda ocupada, Sandro Cortese (Yamaha GRT) estabeleceu o sétimo tempo mais rápido, enquanto o companheiro de equipa Marco Melandri fechou em 13º atrás de Tom Sykes (BMW Motorrad).

Este último teve também componentes diferentes para testar na sua BMW S1000 RR, e com o companheiro de equipa Markus Reiterberger (15º), foi capaz de reunir informações suficientes para trabalhar na próxima ronda.

Os pilotos independentes  da Kawasaki Jordi Torres (Team Perdercini) e Leandro Mercado (Orelac Racing VerdNatura) fecharam em 14º e 16º, respectivamente,  ambos a trabalhar para melhorar as suas ZX-10RR ao longo dos dois dias.

Os pilotos da Honda Moriwaki Althea Takumi Takahashi (substituto do lesionado Leon Camier) e Ryuichi Kiyonari terminaram em décimo sétimo e décimo nono, respectivamente, pois ambos trabalharam na configuração base da Honda CBR1000RR, enquanto Silvain Barrier da Ducati fechou com o 18º lugar da geral.