Vindos do TL3 desta manhã com v d Mark o mais rápido, foi no entanto outra Yamaha, a de Toprak Razgatlioglu, a instalar-se no topo da tabela no iníco da sessão de Superpole.

A seguir, apareciam Rea, v d Mark, Redding, Loris Baz e Bautista. Pouco depois, Haslam saltou de 11º para 8º, e com Caricasulo também a rodar rápido em mais uma Yamaha, as filas da frente revelavam uma boa seleção das marcas presentes, melhorada ainda mais quando Tom Sykes saltou para 7º, com Davies nesta altura em dificuldades apenas em 12º, atrás até de Gerloff e Cortese.

Uma queda de Lowes, embora sem consequências, não ajudou e o líder do Campeonato acabaria na 5ª fila da grelha…

Todos foram à boxe para pneus, deixando as tentativas finais de ataque à segunda pole do ano para os últimos 5 minutos.

O primeiro a mostrar o jogo foi Laverty na BMW, sem grande efeito, seguiu-se o seu colega Sykes, que a 2 minutos do final, pensou ter feito a pole, só para ser suplantado logo a seguir por Rea com 1:38.770, os tempos sub-1:39 a chegar finalmente.

Baz estava numa volta rápida também, que o colocou em terceiro.

Só que Redding a seguir, já com a bandeira a ser mostrada, melhorou isso ainda mais para 1:38.736 na Ducati Aruba, e Rea abortou a sua volta seguinte, quando rodava abaixo de meio segundo, decerto pensando que já não iria a tempo de fazer outra volta cronometrada…

A primeira fila foi assim monopolizada por Britânicos, Redding, Rea e Sykes, com a segunda fila preenchida por v d Mark, Razgatlioglu, que nem sairá nas últimas voltas, e Baz e Davies acabou em 7º, a ecoar o seu número, ao lado das Honda de Bautista e Haslam na terceira fila…