O teste de Misano, longe de ser o tão esperado regresso triunfal de Leon Camier, com o começo da habituação à Ducati da Barnim mostrou que a sua lesão está longe de curada e pode mesmo estar a pôr em perigo a continuidade da sua carreira.

O seu ombro operado ainda lhe está a causar problemas depois da intervenção cirúrgica em dezembro, apesar da confinação lhe ter dado amplo tempo de recuperar e agora Barnabó, chefe da equipa, começa a ponderar se não terá mesmo de o substituir permanentemente na equipa.

“Durante o confinamento, treinei, mas com cuidado para não exigir demais do ombro” – disse Camier- “Nas últimas semana, tenho estado a fazer Supermoto e Trial sem problemas.”

“Agora, não sei se é da posição de condução combinada com as violentas travagens numa Superbike, já não sei o que pensar…”

“Estou mesmo desapontado, porque não posso andar ao meu nivel e explorar o potencial da moto. E tenho pena dos tipos da Barni, que são uma equipa que dá o máximo e até assim me continuam a apoiar…”

“Alguma coisa ainda não está bem, e com a ajuda dos médicos, temos de descobrir o que se passa o mais depressa possível!”

Dado o curto espaço de tempo, participação na prova seguinte em Jerez e até mesmo a continuidade com a equipa podem estar em perigo.
A esse respeito, Marco Barnabó comentou: “A equipa sempre apoiou a direção que tomámos com o Camier e até agora, acreditávamos que ele estaria a 100% aqui. Os médicos tinham dito que ele estaria recuperado e de facto, a treinar, não tinha dores. Mas logo que chegámos a Misano, as dores voltaram e temos de perceber o estado da situação antes do próximo passo!”