Depois de ter confirmado a sua saída da Equipa Oficial Yamaha Pata no final da temporada de 2020 do Mundial de Superbike, o futuro de Michael van der Mark está assegurado, pois a BMW Motorrad anunciou que o Holandês se vai juntar à sua equipa a partir de 2021.

O holandês já competiu anteriormente pela Honda e ultimamente pela Yamaha e procura agora trazer a sua versatilidade ao fabricante alemão, que regressou ao Campeonato oficialmente em 2019.

A carreira de Michael van der Mark já é ilustre, mas o jovem de 27 anos de Gouda tem muito por que ansiar. O seu primeiro grande sucesso aconteceu em 2012, quando foi campeão europeu de Superstock 600. Um pódio na sua primeira corrida no mundial em 2013 confirmou o seu potencial, antes de assumir o Campeonato um ano depois com a Honda. Entrou para a classe de SBK pela Honda Pata Ten Kate em 2015 e subiu ao primeiro pódio em Assen, antes de aumentar a parada em 2016, conquistando a sua primeira, e até agora, única, pole position, seis pódios e o quarto lugar na classificação final.

Em 2017 abraçou um novo desafio, ao juntar-se à equipa Yamaha Pata, tendo feito o primeiro pódio em Portimão e o sexto lugar no Campeonato. 2018 foi, no entanto, a sua melhor temporada, com as suas primeiras vitórias a surgirem de forma surpreendente; Garantindo uma dobradinha em Donington Park, o Campeão Mundial de Supersport em 2014 tornou-se o primeiro holandês vencedor de uma corrida de SBK e terminou a espera de sete anos da Yamaha pela vitória.

Terceiro na geral em 2019, van der Mark conseguiu mais uma vitória em Jerez antes de terminar num sólido quarto lugar na geral, batido à justa para o pódio pelo colega de equipa Alex Lowes. Em 2020, já foi líder de corridas e promete continuar a lutar pelas vitórias e, em última análise, pela coroa de 2020.

Shaun Muir, diretor da BMW Motorrad SBK, afirmou: “Estamos muito felizes por receber o Michael na BMW Motorrad SBK Team. Traz uma vasta experiência e é um dos pilotos mais jovens e talentosos da grelha de SBK. Assegurar os serviços do Michael enfatiza o foco e a determinação que temos por competir pelas honras de topo, e daremos ao Michael todas as oportunidades para atingir esse objetivo.”

Marc Bongers, diretor desportivo da BMW Motorrad, acrescentou: “Estamos muito satisfeitos com o nosso acordo com o Michael, que se desenvolveu muito fortemente no Campeonato do Mundo de Superbike nos últimos anos. Estamos convencidos de que o Michael é uma mais-valia para o nosso projeto, e juntos, em combinação com o pacote forte que lhe podemos oferecer, podemos chegar ao próximo nível em termos de resultados.  Gostaríamos de dar as boas-vindas ao Michael à Equipa BMW Motorrad e esperamos uma forte cooperação.”

A BMW chegou pela primeira vez à SBK em 2009 como fabricante, mas só em 2010 é que conseguiram um pódio, com Troy Corser em Monza. A primeira vitória em 2012 com Marco Melandri, que também foi 1-2 para a BMW com Leon Haslam em segundo durante a Corrida 1 em Donington Park, antes de mais 11 vitórias seguidas pelo italiano e Chaz Davies. Regressado como equipa de fábrica em 2019, Tom Sykes subiu ao pódio pela primeira vez em seis anos em Misano e liderou a primeira volta de 2020. Uma história colorida que os vai ver desafiar-se novamente em 2020 e mais além.