A piloto saudita Reema Juffali foi uma das mulheres que disputaram o Troféu F4 UAE, juntamente com Emirati Amna, Hamda Al Qubaisi e Logan Hannah, que decorreu no fim de semana do Grande Prémio de Abu Dhabi de Fórmula 1. Juffali conquistou o sexto lugar, num carro desconhecido, já que a piloto corre com os Fórmula 4 britânicos.

“Testei o carro da categoria F4 da Dragon antes do fim de semana e foi ligeiramente diferente do que aquele que usei na Europa, mas gostei. Conhecia bem a pista, por isso foi uma boa experiência e o meu melhor resultado.”

“Gostaria de pensar que não estava nervosa com as corridas no fim de semana de Fórmula 1, mas não consegui. Estavam lá todas as equipas de Fórmula 1.”

A primeira experiência de corrida de Juffali aconteceu no ano passado, no Yas Marina Circuit, quando ela participou na TRD 86 Cup. A competição é uma série monomarca, onde se corre com o Toyota GT86.

“Há um ano atrás fiz a última corrida com o Toyota, onde consegui a minha primeira vitória. Desde então, muito aconteceu na minha carreira, mas também na Arábia Saudita.”

Ao competir na TRD 86 Cup, Juffali tornou-se a primeira detentora de licença de corrida feminina saudita a competir nos Emirados Árabes Unidos e, na sua temporada de estreia, conquistou um segundo lugar na categoria Silver e o quarto lugar à geral.

Como forma de entrar nas corridas de monolugares, a saudita foi para a série britânica da Fórmula 4. Isto despertou o interesse da Jaguar Racing, que levou-a como piloto de fábrica para a primeira corrida de 2019/2020 do Jaguar I-Pace eTrophy, que faz parte do campeonato da Fórmula E, que teve a sua ronda inaugural na Arábia Saudita.

كان شرف لي ان امثل بلدي في ارض الوطن. مني مصدقة… شكرا لتشجيعكم وكل رسائلكم! لحظات لا تنسى.

It was an honor to be racing in my country. I never thought this would happen so soon. I‘m so touched by all the support and kind messages. Thank you Jaguar!Unforgettable. pic.twitter.com/yKOXUPiuDZ

— Reema Juffali – ريما الجفالي (@reemajuffali) November 25, 2019

Quando Juffali entrou na corrida da Jaguar I-Pace eTrophy, ela fez história. Apenas há 18 meses é que as mulheres foram autorizadas a conduzir nas estradas da Arábia Saudita e Juffali tornou-se a primeira a correr em solo nacional.

“Quem teria pensado que isto era possível? Tem sido uma experiência incrível e acho que ainda tenho muito mais para fazer.”

Juffali estreou-se nas corridas internacionais há cerca de 10 meses, depois da Arábia Saudita ter levantado a proibição da condução feminina, ao competir no Campeonato Britânico de Fórmula 4 com a equipa da Double R Racing, no circuito de Brands Hatch, em Inglaterra.

“A Fórmula 4 na Europa tem sido muito desafiante pois tive de aprender todas as pistas, em carros diferentes e em condições diferentes, por isso foi uma curva de aprendizagem constante e uma curva que se tornou mais acentuada à medida que a época avançava.”

“Por fim, a oportunidade de correr no Jaguar I-Pace eTrophy destacou a inovação e o progresso no desporto automóvel, dando mais oportunidades a homens e mulheres para competirem juntos em carros de corrida. Na corrida em si, tinha ritmo, mas não consegui uma volta limpa na qualificação, por esta ter sido encurtada.”

Quanto aos planos para o próximo ano, Juffali diz que pretende juntar tudo o que aprendeu e concentrar-se em perseguir novos campeonatos na Europa, bem como participar noutras corridas pontuais como convidada.