Está garantida a realização do RallySpirit 2020. Entre 22 e 24 outubro, emoções fortes dos ralis voltam ao Porto, Gaia e Barcelos, mas com redobrados cuidados com saúde pública, cumprindo rigoroso plano de contingência, no âmbito da pandemia Covid-19, para proteção das equipas, público e restantes intervenientes. Como seria de esperar, os míticos carros de ‘Grupo B’ estão garantidos, com a promessa de muita animação. Integração e estreia no “Slowly Sideways Europe” reforça mediatismo.

“Tempos excecionais exigem ralis de exceção” – é sob este lema que terá lugar, entre 22 e 24 de outubro, a sexta edição do RallySpirit! Fruto das inusitadas circunstâncias que o mundo atravessa, o evento dará prioridade à saúde pública. A prova disputar-se-á, assim, em 2020, sob a égide das indispensáveis medidas protocolares de segurança sanitária e ao abrigo do plano de contingência traçado pela FPAK (Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting), sob as orientações da DGS (Direção-Geral de Saúde), para a máxima proteção de todos os agentes envolvidos.

Face à atual situação, a decisão de realizar o evento não se afigurou fácil, mesmo se o caminho mais simples seria o da anulação. Todavia, após elevada ponderação, entendem os responsáveis da X Racing (entidade promotora) que os adeptos do RallySpirit e a economia local merecem todo o empenho para ajudar a “virar a página” de um momento tão difícil como o que estamos a viver. É assim, neste contexto, que a organização e as Câmaras Municipais envolvidas deram “luz verde” à viabilização do RallySpirit 2020, ainda que plenamente conscientes que, uma evolução negativa ou agravamento da situação da saúde pública, durante os mais de três meses que faltam para a prova se disputar, poderá condicionar, em definitivo, a sua realização em 2020.

Vivenciando uma experiência a todos os títulos diferente, o RallySpirit 2020 não deixará, contudo, de respeitar a sua génese, proporcionando momentos únicos a equipas, pilotos e espectadores, que voltarão a desfrutar dos mais míticos carros de ralis de todos os tempos. Aliás, o facto de pela primeira vez integrar o calendário do “Slowly Sideways Europe” – a par de algumas das melhores provas de “Rally-Legends” mundiais, como é o caso do “Eifel Rallye Festival”, do “Alsaces Rallye Festival” e do “Rallye Festival Valles Pasiegos” – confirma a meritória evolução, ano após ano, do RallySpirit e do seu cada vez maior reconhecimento internacional. “Grupo B” estão garantidos!

Num ano de especial contenção e prudência, não está prevista a presença de um Top Driver internacional (a exemplo do que aconteceu com Miki Biasion em 2016, Ari Vatanen em 2017, François Delecour em 2018 e Stig Blomqvist em 2019). Mas isso não significará menos emoções na estrada, uma vez que a organização da X Racing volta a prometer um parque automóvel muito exclusivo, com um bom número de “Grupo B”, que tornará o RallySpirit 2020 numa edição tão especial quanto as anteriores. Quanto ao esquema competitivo idealizado pela X Racing e CAST (Clube Automóvel de Santo Tirso), a prova de 2020 tem como principal alteração a mudança do seu centro nevrálgico, que passa agora a estar localizado em Barcelos, cidade responsável por acolher o arranque e o final da prova.

Contudo, Vila Nova de Gaia e o Porto, continuam a contribuir para o carácter singular e mítico da prova, com passagens garantidas pela emblemática Marginal de Gaia e Avenida dos Aliados (Porto), frente à Câmara Municipal do Porto. Para Pedro Ortigão, um dos responsáveis da X Racing, “a viabilização do RallySpirit 2020 representa um grande esforço da nossa parte e foi devidamente ponderada por todos, com a consciência de que, a três meses da prova, ou avançávamos agora ou teríamos de adiar o evento para 2021.

Assumindo o risco, já começamos a trabalhar nesta sexta edição, onde será muito importante cumprir e fazer cumprir as medidas excecionais de saúde pública que estiverem em vigor, de forma a garantir a segurança de todos. Em todo o caso, estaremos naturalmente atentos ao evoluir da situação e, em caso de força maior, também estamos preparados para voltar com a decisão atrás e inviabilizar o evento este ano”.

Nestas circunstâncias, Pedro Ortigão refere também ser essencial “contar com a colaboração de todos, para que esta festa do automobilismo nacional volte a marcar encontro com o sucesso, até porque, desportivamente, estamos em crer não faltarão argumentos para colocar na estrada mais uma prova memorável.” Uma palavra merece ainda o final da bem-sucedida parceria do RallySpirit com a empresa Altronix, o principal patrocinador desde a primeira edição e que muito ajudou a torná-lo num marco incontornável no panorama dos ralis nacionais e agora também internacionais. A Altronix deixa, portanto, de dar o nome ao RallySpirit, mas nunca deixará de estar ligada à sua história.