Hamilton vs Verstappen é a luta que todos esperam para o GP da Estíria de F1, mas a corrida pode encerrar vários outros duelos bem interessantes.
A primeira linha da grelha de partida é provavelmente a mais desejada pela grande maioria dos adeptos. A qualificação foi uma boa demonstração do atual nível dos dois pilotos, pois com o que choveu, o carro deixa de ter tanta importância e passa a ser os dotes dos pilotos a sobressair. Para quem diz que Hamilton só ganha por causa do carro, está aí uma boa lição.
Os 1.216s que separaram os dois pilotos não são ‘verdadeiros’, pelo que se espera um duelo fantástico.

Na passada semana, Max Verstappen desistiu cedo, Valtteri Bottas e Lewis Hamilton andaram na frente até problemas com a caixa de velocidade terem ‘incomodado’ ambos os carros. A Red Bull e a Honda estão confiantes que o problema de Verstappen está resolvido, resta saber a caixa de velocidades dos Mercedes.

A Racing Point tem parecido ser rápida com pista seca, mas com o que choveu na qualificação a equipa perdeu-se e Lance Stroll arranca de 13º enquanto Sergio Pérez de 17º. Perez foi eliminado na primeira parte da qualificação e Stroll não conseguiu progredir num Q2 muito competitivo. Ambos poderão marcar pontos numa corrida seca, mesmo partindo mais atrás, mas há vários carros rápidos no meio do pelotão que lhes vão tornar a vida difícil.

No pólo oposto da competitividade, a Ferrari. Tem sempre de se contar com eles, veja-se o segundo lugar de Charles Leclerc na semana passa, mas Leclerc inicia a corrida do 14º lugar, após uma penalização na grelha enquanto Vettel só conseguiu ser 10º. Um bom resultado não pode ser descartado, mas não devemos esperar muito dos Ferrari.

Uma boa surpresa na qualificação foi George Russell, a Williams tem parecido estar mais competitivo em 2020 e está equiparado à Alfa Romeo e Haas.
Isso significou uma oportunidade de passar da Q1 e Russell fê-lo pela primeira vez na sua carreira na F1. É verdade que o tempo molhado ajudou, mas seja como for foi um desempenho altamente impressionante do campeão de Fórmula 2 de 2018, pois terminou a sessão a 0.1s do décimo lugar de Vettel e um lugar no Q3. Russell começa a corrida da 11ª posição devido à penalização de Leclerc e o seu próximo alvo serão os primeiros pontos da sua carreira na F1.

Tendo em conta que a qualificação foi uma sessão totalmente molhada, os pilotos têm total liberdade para escolher a sua estratégia de pneus para hoje. Isso significa que é provável que vejamos um número de pilotos a começar com pneus médios. Outro desafio é o facto das condições da pista, com o domingo muito mais frio do que as temperaturas que vimos na sexta-feira, o que significa que a vida útil dos pneus irá mudar. Um composto mais duro pode ser mais difícil de aquecer e obter o máximo desempenho de forma rápida, pelo que um pneu mais macio no início pode ter um benefício adicional.

Na passada semana, a estratégia de uma paragem, passando de macio ou médio para mais duro, seria o caminho a seguir antes de todas as interrupções do Safety Car, mas temperaturas mais baixas podem também abrir a oportunidade de completar a corrida com um conjunto de pneus macios e outro de médios.