"O encontro não foi mau, da minha parte. Estive menos bem nos momentos decisivos, ao contrário do meu adversário e, isso, decidiu o encontro. Nas estatísticas, as percentagens até estavam muito equilibradas, mas nos 'break points' realmente não estive tão bem e ele soube jogar esses pontos melhor", avaliou o jovem maiato, de 25 anos, em declarações à Lusa.

O número dois nacional e 123 no 'ranking' ATP, repescado para o quadro principal de singulares como 'lucky loser', não conseguiu contrariar o favoritismo do adversário (55.º ATP), e acabou derrotado com os parciais de 6-4, 6-4 e 7-6 (7-3), ao fim de duas horas e três minutos.

 "Frente a um jogador deste nível, é difícil jogar com o resultado contra mim e, depois com dois 'sets' abaixo, não consegui meter tanta pressão no adversário. E ele, se calhar, também subiu um pouco de nível", comentou, depois de não ter conseguido converter nenhum dos oito pontos de 'break' que dispôs.

Apesar de considerar ter feito "um bom encontro", Nuno Borges lamentou o resultado e confessa sentir "que podia ter feito um bocadinho melhor" na estreia no All England Club, onde agora vai jogar a prova de pares com o amigo e compatriota Francisco Cabral.

"Mesmo assim, valeu pela experiência e foi com o maior dos prazeres que vim jogar Wimbledon, que é um palco onde os melhores competem e, se não o mais desejado, é o sonho de qualquer jogador poder jogar aqui" rematou.

SRYS // AJO

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.