MotoGP: Oliveira dá ‘calendário’ a Syahrin, Viñales arrasa concorrência

19 pilotos dentro do mesmo segundo

Está encerrado o segundo de três dias oficiais de testes do MotoGP no circuito de Sepang, nestes que estão a ser os primeiros dias de trabalho novo ano de preparação da nova época. Hoje o dia ficou marcado pelas elevadas temperaturas do asfalto, chegaram a passar os 56.5ºc, situação que influenciou a atividade em pista.

Depois de ontem ter sido 16º e o segundo melhor estreante, hoje Miguel Oliveira quedou-se pelo 20º posto da classificação geral entre os 27 pilotos que estabeleceram um tempo. Oliveira melhorou em quase 0.3s o seu melhor registo na véspera e mostrou que está cada vez mais adaptado à KTM RC16 e consequentemente a um protótipo de MotoGP.

Oliveira, que cumpriu 61 voltas, tal como no dia de ontem voltou a ser mais rápido, e por larga margem, do que o seu colega de equipa, Hafizh Syahrin. O malaio, que está a ter algumas dificuldades de adaptação à KTM, encontra-se a mais de um segundo do luso, não obstante, estar a rodar numa pista que bem conhece.

Miguel Oliveira ficou igualmente perto, pouco mais de 0.3s e 0.1s respetivamente, de Pol Espargaró (sofreu uma violenta queda sem consequências físicas na Curva 1) e Mika Kallio, homens igualmente aos comandos de KTM, enquanto Johann Zarco apresentou melhorias, tendo batido em mais de um segundo o tempo da véspera. O gaulês foi 11º e o melhor piloto KTM em pista.

Quanto ao topo da folha de tempos ficou na posse de Maverick Viñales. O piloto da Yamaha bateu toda a concorrência com uma volta rápida no fim, 1m58.897s, marca que até ao momento é por larga margem a melhor destes dois dias de trabalho. Viñales é o único piloto a rodar no segundo 58, nestes ensaios, e deixou a mais de meio segundo o piloto que ficou atrás de si.

Tudo num dia onde a dada altura o muito equilíbrio entre as diferentes forças foi a nota dominante. Chegámos a ter 19 pilotos a caberem dentro do mesmo segundo e os quatro primeiros a estarem separados por 63 magros milésimos.  No final as diferenças entre os pilotos é que aumentaram.

Álex Rins foi novamente segundo, liderou a sessão nos minutos finais, e confirmou que a Suzuki parece estar a começar em boa forma o novo ano. Jack Miller foi terceiro e o melhor piloto privado bem como a melhor Ducati. Andrea Dovizioso liderou o teste durante muito tempo, mas no final teve de contentar-se com o quarto posto. Cal Crutchlow fechou o top cinco e foi o melhor homem da Honda.

Seguiu-se Valentino Rossi que teve logo atrás  de si Tito Rabat, piloto que continua a dar bons apontamentos aos comandos da Ducati Desmosedici GP18 da satélite Avintia Racing. Ontem o piloto espanhol havia sido quarto.

Mais veloz na véspera, Marc Márquez hoje quedou-se pelo oitavo posto e voltou a terminar o dia mais cedo do que todos os outros devido às limitações físicas no ombro esquerdo. Destaque ainda para Francesco Bagnaia que ao ser 12º teve o privilégio de ser novamente o melhor entre os estreantes.

Amanhã é o último dia de testes oficiais na Malásia numa jornada que tal como as anteriores terá início às 2h00, de Portugal Continental, e irá prolongar-se ate às 10h00.

Classificação:

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.