Joan Mir chegou a Portimão já com a coroa de Campeão do Mundo de MotoGP debaixo do braço. Questionado sobre os seus objetivos para a prova de Portimão, foi claro: “Fazer a Suzuki campeã”, e para isso ajudará o seu colega Alex Rins, se for necessário.

“Em Portimão vou sair como todos os fins-de-semana para dar cem por cento e tentar ganhar respeitando o meu colega de equipa. Temos um objectivo que é fazer da Suzuki campeã”, começa por dizer o espanhol já campeão do mundo de MotoGP em 2020.

Número 1 na moto em 2021?

“O Davide Brivio gostaria disse-me que gostaria que o colocasse, mas não o tenho completamente claro, porque com o número 36 ganhei dois Campeonatos do Mundo e é o número que me dá sorte.”

A melhor lição em 2020?

“Aprendi muito durante toda a época, especialmente amadureci mais e fui capaz de explorar as minhas virtudes, dei 100% embora a velocidade não tenha sido a melhor, posso não ter sido o mais rápido de todos, mas o mais constante, normalmente fui eu que estive sempre na frente. Explorámos as virtudes da Suzuki que por vezes não estava lá para ganhar, mas depois eu estava no pódio. Para o próximo ano, estou confiante que podemos ter uma boa temporada se melhorarmos a nossa velocidade. No dia em que tivermos essa velocidade, podemos ganhar um campeonato com verdadeira autoridade.”

Mentalmente?

“Mentalmente acho que fui mais forte que os meus rivais, no sentido de que quando não tive de falhar não falhei. A pressão ajudou-me a ser mais competitivo, é isso que quero dizer, a pressão não me tirou, mas deu-me velocidade.”