15ª pole-position da carreira! Valtteri Bottas (Mercedes F1 W11) bateu Lewis Hamilton (Mercedes F1 W11) por 0.097s, e vai sair da pole-position para o GP Emilia Romagna F1. Apesar de um susto na Q2, com uma avaria reparada pela Red Bull, in ex-tremis, Max Verstappen (Red Bull RB16/Honda) qualificou-se na terceira posição na frente de um excelente Pierre Gasly (AlphaTauri AT01/Honda), que foi quarto na frente de Daniel Ricciardo (Renault R.S.20). O francês, anunciado na AlphaTauri para 2021 antes deste fim-de-semana, brilhou, colocando-se confortavelmente entre os quatro primeiros, igualando o seu melhor resultado na grelha que conseguiu o ano passado na Alemanha.
Alexander Albon (Red Bull RB16/Honda) esteve melhor do que habitualmente e bateu Charles Leclerc (Ferrari SF1000), que desta feita não foi além do sétimo lugar.
Daniil Kvyat (AlphaTauri AT01/Honda) foi oitavo na frente dos dois McLaren, com Lando Norris (McLaren MCL35/Renault) na frente de Carlos Sainz (McLaren MCL35/Renault). A equipa de Woking colocou os seus monolugares na Q3, mas não fez melhor do que a quinta linha da grelha.
Tal como já se está a tornar hábito, os dois pilotos da Mercedes, bem como Max Verstappen, iniciarão a corrida com as borrachas de composto médio, o que lhes dá uma vantagem estratégica adicional sobre os restantes pilotos do top 10 para a corrida de amanhã.

Os Mercedes estiveram novamente numa classe à parte na histórica e pitoresca pista italiana.

Q2: Dois Racing Point de fora da Q3
Surpresa com a eliminação de SergioPérez (Racing Point RP20/Mercedes) e LanceStroll (Racing Point RP20/Mercedes). EstebanOcon (Renault R.S.20) também ficou pelo caminho na Q2, sendo que a única equipa do meio do pelotão com dois carros na Q3 foi a McLaren.
SebastianVettel (Ferrari SF1000) foi 14º na frente de GeorgeRussell (Williams FW43/Mercedes). Max Verstappen logo no início deste sessão reportou problemas com o RB16, afirmando no rádio: “Não tenho potência». A equipa conseguiu resolver os problemas e o holandês foi para a pista de médios, rubricando o sexto tempo mais rápido.

Mais um feito da Red Bull
A Red Bull é capaz de fazer vários pit stops em menos de dois segundos, reparou o monolugar de Max Verstappen na grelha do GP da Hungria depois duma saída do holandês na volta de saída para a pré-grelha e desta feita foi capaz de mudar uma vela em pouco mais de cinco minutos uma operação que ‘normalmente’ demoraria 15 minutos. Max Verstappen teve problemas com uma vela do motor, ficou sem potência mas a equipa reparou o carro a tempo de fazer duas voltas, uma lançada, em que Verstappen colocou o carro no quarto posto. A Red Bull só não tem asas para a Mercedes…em pista.

Q1: Latifi, Alfa Romeo e Haas de fora
Na primeira fase da qualificação ambos os Alfa Romeo, os Haas e Nicholas Latifi ficaram de fora. Com o tempo mais lento ficou Antonio Giovinazzi, a 1.987s do tempo mais rápido, que parte assim da última posição para a corrida de amanhã. Na frente do italiano ficou Nicholas Latifi. Kimi Raikkonen viu o seu melhor tempo anulado devido aos limites de pista, acabando a qualificação com o 18º tempo. Kevin Magnussen colocou o Haas na 17º posição, enquanto Romain Grosjean foi 16º, tendo o francês ficado a 0.096s da 15º posição, ocupada por Lance Stroll.