Alexander Albon foi o piloto mais rápido no primeiro treino do Grande Prémio do Brasil. O piloto tailandês fez um tempo de 1:16.142s, numa sessão marcada pela chuva no circuito de Interlagos.

Apesar de ter sido o mais rápido, Albon também acabou o treino mais cedo, com um choque nas barreiras.

Alex is out of the car and okay 👍

The clock runs out under red flag – that’s the end of FP1!#BrazilGP 🇧🇷 #F1 pic.twitter.com/vmDMFeEOZU

— Formula 1 (@F1) November 15, 2019

First on the timesheets, but last back to the pits for Albon 💥#BrazilGP 🇧🇷 #F1 pic.twitter.com/NSilJ1bsfQ

— Formula 1 (@F1) November 15, 2019

Segunda posição para Valtteri Bottas. O finlandês da Mercedes ficou a 0.551s de Albon. Terceira posição para o Ferrari de Sebastian Vettel, a 0.899s de Albon.

O melhor do segundo pelotão foi Carlos Sainz, no quinto lugar da classificação, ficando a 1.644s de Albon. O espanhol ainda teve alguns problemas logo no início da sessão, mas conseguiu resolver tudo.

Os Renault ficaram com o sexto e sétimo posto no TL1, com Nico Hulkenberg a ser mais rápido que Daniel Ricciardo.

Os Toro Rosso também ficaram nos dez primeiros, com Pierre Gasly em oitavo e Daniil Kvyat em nono. Kvyat, que tal como Max Verstappen, ainda fez um pião no fim do treino.

A completar os dez primeiros ficou Lando Norris, que fechou o TL1 a 2.417s de Albon.

Com a chuva a cair intensamente no início do TL1, todos os pilotos foram para a pista de pneus de chuva, tendo ainda conseguido utilizar os pneus intermédios e mesmo no fim, ainda alguns slicks, casos de Bottas, Albon, Vettel, Leclerc, Gasly, Kvyat, Kevin Magnussen, Grosjean, Verstappen e Lewis Hamilton.

Mas, com as condições a não serem as melhores, Romain Grosjean, Sergio Pérez, Max Verstappen e Lewis Hamilton optaram por não fazer uma volta completa, apesar de terem ainda saído para a pista.

Assim, o último a colocar um tempo foi Nicholas Latifi, que voltou ao Williams, por troca com Robert Kubica. Já George Russell ficou em 11º, devido às condições difíceis da pista brasileira.