GP Austrália F1: Mercedes arrasou no arranque

A Ferrari saiu dos testes de Barcelona aparentemente como a equipa a bater, mas após as duas primeiras sessões de treinos livres de Melbourne as ‘agulhas’ viraram por completo, já que a Mercedes parece estar, como disse Vettel: “num campeonato à parte”. Se a primeira sessão foi pouco menos que inconclusiva, já que o top

A Ferrari saiu dos testes de Barcelona aparentemente como a equipa a bater, mas após as duas primeiras sessões de treinos livres de Melbourne as ‘agulhas’ viraram por completo, já que a Mercedes parece estar, como disse Vettel: “num campeonato à parte”. Se a primeira sessão foi pouco menos que inconclusiva, já que o top 3 – Lewis Hamilton, Vettel e Leclerc – ficaram separados por apenas 0.074s, com o Red Bull de Max Verstappen apenas um décimo de segundo atrás, o segundo treino livre sugeriu uma coisa bem diferente, já que o Mercedes W10 guiado por Lewis Hamilton conseguiu um registo que colocou o mais oito décimos na frente de qualquer outro.

Na verdade, a primeira sessão, com a pista com pouca aderência e as temperaturas ainda muito frias, nunca iria mostrar um ‘filme’ muito preciso, mas olhando para os resultados após a segunda, e partindo do princípio que a quantidade de combustível não era muito diferente de uns para os outros, esta comparação já será bem mais fidedigna.

Assim, comparando a melhor volta de cada equipa, percebemos que a Mercedes (Lewis Hamilton) ‘deu’ 0.8s à Red Bull (Max Verstappen), com a Ferrari (Sebastian Vettel) 0.073s mais atrás. A Alfa Romeo (Kimi Raikkonen) está mais um décimo atrás da Ferrari, e o mesmo se pode dizer da Renault (Nico Hulkenberg). Daqui para a frente a margem é maior, com a Haas (Romain Grosjean) a três décimos da Renault, a Toro Rosso (Daniil Kvyat), 0.1s mais atrás. A Racing Point (Lance Stroll) está a 0.7s da Toro Rosso, e por fim, na cauda do pelotão, estão a McLaren (Carlos Sainz) mais de um décimo da Racing Point e a Williams (George Russell) com um registo inenarrável…

Como conclusão, a Red Bull parece estar bem, e atrás das três grandes está tudo muito equilibrado, com a Alfa Romeo na frente de Renault, Haas, Toro Rosso, Racing Point e McLaren, mas apenas separadas por 0.5s. Já a Williams, está a quase quatro segundos da frente. Os maus sinais de Barcelona, confirmam-se…

Melhores tempos por equipa:

1º Mercedes (Lewis Hamilton) 1:22.600s
2º Red Bull (Max Verstappen) 1:23.400s +0.8s
3º Ferrari (Sebastian Vettel) 1:23.473s +0.873s
4º Alfa Romeo (Kimi Raikkonen) 1:23.572s +0.972s
5º Renault (Nico Hulkenberg) 1:23.574s +0.974s
6º Haas (Romain Grosjean) 1:23.814s +1.214s
7º Toro Rosso (Daniil Kvyat) 1:23.933s +1.333s
8º Racing Point (Lance Stroll) 1:24.011s +1.411s
9º McLaren (Carlos Sainz) 1:24.133s +1.533s
10º Williams (George Russell) 1:26.453s +3.853s

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.