Futuro no WRC: Pilotos fazem ponto da situação

Silly season do WRC promete muito este ano...

Consciente de que apenas Ott Tanak e Andreas Mikkelsen, entre os principais pilotos do WRC, têm contratos em vigor para o ano que vem, a emissora oficial do WRC, All Live, perguntou a vários dos restantes pilotos na Alemanha, o que esperavam que o futuro lhes reservasse.

Não falaram com toda a gente, por exemplo Thierry Neuville, que se está a preparar para estender o seu vínculo com a Hyundai. Já Dani Sordo, que tem feito bons ralis, é um caso interessante e já se fala de um possível regresso à Citroën, que precisa de pilotos que deem mais garantias. Mads Ostberg tem os altos e baixos do costume, anda bem em alguns provas, ofusca-se noutras, Teemu Suninen está a crescer e é um valor seguro, deve permanecer na M-Sport, e Hayden Paddon deverá ser também um piloto com mais do que uma possibilidade, mas que também pode ver fecharem-se todas as portas.

Sebastien Ogier (M-Sport): Penso que é claro para todos que o parâmetro número um é o desempenho. Penso que me estou a aproximar do fim da minha carreira e não sei, mas se houver outro contrato, provavelmente vejo-o como o último. Então, é claro que quero fazer o melhor possível, mas a verdade é que eu tive a sorte de ter tido uns bons últimos anos. O que me faz feliz agora não é ganhar mais dinheiro, mas sim ter a chance de lutar por mais vitórias e mais títulos, se possível. Para mim é claro, será o desempenho a determinar.

Jari-Matti Latvala: As coisas podem mudar para o próximo ano. Estou completamente certo de que haverá mudanças. Alguns pilotos vão mudar de equipa. Tenho certeza disso. De momento, a minha situação na Toyota está num nível pessoal. Eu realmente quero ficar nesta equipa. Este é o alvo e Timo Jouhki, o meu empresário, tem negociado as coisas. Mas OK, não há assinaturas ainda, está tudo um pouco em aberto do meu lado, mas temos que esperar para ver. Posso dizer que o Rali da Finlândia foi muito importante para mim, especialmente quando se está a pensar na equipa para o próximo ano.

Craig Breen: “Obviamente, o meu contrato com a Citroën acaba no final do ano, pelo que estamos em discussão há já algumas semanas e é claro que eu gostaria de ficar. Sinto que toda a equipa tem progredido rapidamente nas últimas semanas, meses. Desde o início deste ano, o progresso foi realmente real logo desde o início pelo que gostaria de ficar aqui. Sinto-me parte da família. Esta equipa deu-me a chance de entrar no Mundial num WRC, pelo que gostaria de dar sequência à história. Para mim, o mais importante é a continuação do trabalho. Eu amo o que faço. Eu vivo e respiro tudo sobre este desporto, e por isso só quero ter outro volante para pilotar no próximo ano (2019).

Elfyn Evans (M-Sport): Eu não sei. Se me pudessem dizer alguma coisa seria bom (risos). Vamos esperar e ver e, obviamente, está tudo muito em aberto do momento, pelo que precisamos de algumas decisões de algumas pessoas para resolver as coisas.

Esapekka Lappi: Eu me sinto bem aqui na Toyota. Se eu puder continuar aqui sim, eu gostaria de ficar. O carro é capaz de vencer ralis e esse é um bom feeling dentro da equipa. Quando se conhece toda a gente, sabe como tudo funciona, então, por que sair? Não vejo razão para isso.

Martin Holmes

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.