Há uns dias, Eddie Jordan veio com a teoria que Lewis Hamilton se poderia juntar a Max Verstappen na Red Bull, o que depois de chegar aos ouvidos de Christian Horner redundou num “Pergunto-me o que Eddie tinha estado a beber”, mas há quem tenha outra teoria, que pode ser bem menos descabida. E se for ao contrário? E se Max Verstappen fizer uma mudança ‘choque’ para a Mercedes, em 2022. Já sabemos que esse é o pior momento para mudar, já que com as novas regras, pode dar-se o caso de ser uma espécie de “tiro na água”, mas também pode ser um verdadeiro “tiro no porta-aviões”.

Pelo menos é esta a opinião do ex-piloto de F1, JJ Lehto, em declarações ao jornal Iltalehti. “Um piloto desse calibre manterá a porta aberta em todas as direções. Com a Red Bull, Max é capaz de vencer, embora ocasionalmente. Não há nada que sugira que o equilíbrio de poder irá mudar drasticamente nos próximos anos. A Red Bull é a segunda melhor equipa e Mercedes é a número 1”, disse.

Seria, sem dúvida, fantástico para os adeptos, pelo menos enquanto Hamilton estivesse no topo da suas capacidades, pois tratar-se-iam de lutas fantásticas, mas acredita-se que o inglês já não vai ficar muito tempo na F1, talvez mais dois, três anos, no máximo, e nesse contexto seria uma bela jogada da Mercedes, porque voltaria a ficar com o melhor piloto do plantel. “Seria fogo de artifício na pista e nos bastidores”, disse Lehto Seriam dois pilotos duros como que não dariam um centímetro”.