Claire Williams admitiu em entrevista ao Telegraph que a saída da Rokit, patrocinador principal da equipa no início de 2020, foi o começo do “fim de história” para a Williams, sendo isso que ‘obrigou’ à venda da equipa à Dorilton Capital: “Tive a minha oportunidade mas fiquei sem energia. Desejo que os novos proprietários encontrem alguém que ainda tenha força para dar tudo na equipa, mas já não sou eu”, admitiu Claire Williams, que chegou a um momento em que lhe faltaram a forças para continuar a lutar. Quando a Rokit saiu, em maio, foi o fim: “Tínhamos esgotado todas as fontes possíveis. Pensei sinceramente que as coisas iriam melhorar este ano. Conseguimos arranjar um novo patrocinador que nos prometeu o mundo. Quando isso se desmoronou e ao mesmo tempo o coronavírus atacou, foi o fim da história. Não havia forma de recuperar disso”, acrescentou Williams. “Se essas duas coisas não tivessem acontecido, teríamos conseguido” disse Claire Williams, que está agora ansiosa por perceber como é a vida fora da Fórmula 1: “Este desporto exige muito das pessoas e agora quero reconstruir-me após este momento difícil e descobrir quem sou fora da Fórmula 1. Sempre fui a filha de Frank Williams. Agora só me quero tornar eu própria e ver se gosto disso”, disse ao Telegraph.