Dakar: Seis Mini no top 10

Mini bem colocada se a Toyota falhar...

Sendo verdade que existem seis Mini no top 10, destes nenhum deles está na posição mais ansiada. Stéphane Peterhansel e David Castera (MINI JCW Buggy) estão na luta pelo triunfo, já que distam cerca de nove minutos dos líderes, Nasser Al-Attiyah e Mathieu Baumel. No pódio estão também Nani Roma e Alex Haro (MINI JCW Rally), e até ao quinto posto… só Mini.

Kuba Przygonski e Tom Colsoul (MINI JCW Rally) são quartos classificados na frente de Yazeed Al-Rajhi e Timo Gottschalk (MINI JCW Rally).
Atrás de Sebastian Loeb e Daniel Elena, no Peugeot 3008 DKR, que são sextos, estão Cyril Despres/Jean-Paul Cottret (MINI JCW Buggy) e no top 10, em nono estão ainda Boris Garafulic e Filipe Palmeiro (MINI John Cooper Works Rally), eles que estão a realizar uma prova muito consistente, sabend perfeitamente que numa prova destas para atingir o objetivo de ficar no top 10 há que se manterem longe das armadilhas.

No top 10 estão ainda Aron Domzala/Maciej Marton (Toyota) em oitavo e Harry Hunt/Wouter Rosegaar (Peugeot), em 10º.
Como se percebe, entre o quinto lugar de Al-Rajhi e a liderança de Attiyah há apenas 25 minutos.

Nani Roma e Alex Haro também continuam em boa forma, e subiram para o terceiro lugar geral. “Não foi fácil. Havia muito pó, fesh-fesh e pedras. O percurso já estava bastante destruído”, disse o piloto do MINI JCW Rally. “Obviamente, queríamos cuidar do carro e, acima de tudo, evitar furos. Isso não foi fácil com este traçado, mas estamos felizes”.

Przygonski e Colsoul permanecem a curta distância dos líderes. Terceiro lugar na etapa 4, levou-os a subir uma posição, para o quarto lugar da classificação geral. “Foi uma etapa longa e difícil”, disse o polaco, resumindo o quarto dia do Dakar. “Havia grandes rochas espalhadas por toda a etapa – foi difícil para o carro, para os pneus e para nós. Tentámos forçar o andamento, mas ficámos frustrados com alguns pequenos erros de navegação. Tanto quanto podemos dizer, o carro está em boas condições. Vamos esperar para ver o que acontece”.

Al-Rajhi e Gottschalk não estavam felizes com a forma como correu o dia. O anterior segundo colocado (caiu para o quinto lugar da classificação geral)não estava feliz: “Tivemos uma etapa difícil, com muitos pequenos problemas”, disse o saudita. “Ficamos presos na fesh-fesh, pois havia motos no caminho. Mais tarde, tivemos que parar duas vezes por causa das perfurações. Depois encontrámos outra moto, que tinha parado sem qualquer aviso atrás de uma duna. Parámos para verificar se ele estava bem. Tudo isso nos custou muito tempo. Não foi um bom dia, mas os próximos dias vão certamente ser melhores”.

De segunda a sábado,

consulte os especialistas em Motores, Atualidade, Entretenimento, Lifestyle, Tecnologia e Desporto.

Subscreva para receber no seu email, a dose diária recomendada de informação, sem contraindicações.