Depois de a oitava etapa ter sido cancelada em homenagem ao piloto português, Paulo Gonçalves, hoje foi dia de os pilotos regressarem à competição.

Num clima ainda, claramente, muito pesado, Pablo Quintanilla conseguiu focar-se ao máximo na etapa de hoje para garantir a vitória, que dedicou a Paulo Gonçalves. Apesar de todo o esforço, o chileno apenas conseguiu tirar alguns minutos a Ricky Brabec, que permanece ainda líder na classificação geral.

Esta etapa oito ficou marcada pelos 150 quilómetros de terreno rochoso, num ambiente diferente dos desfiladeiros e montanhas da primeira semana. Desta vez, os pilotos passaram por imensos penhascos, admirando-os a partir de largos vales ou viajando ao longo da borda dos precipícios. Na segunda parte do especial, a areia era predominante: em trilhos rápidas ou em vastas extensões sem qualquer relevo.

Ricky Brabec, 4º na etapa, 1º na
geral:
“Nós sentimo-nos muito
bem. Estamos num bivouac ventoso e um mais um dia mais perto do sonho americano
de ganhar o Dakar. Faltam três dias e amanhã é a maratona. Temos muitas
corridas para fazer ainda. O principal objetivo agora é concentrar-me e
permanecer positivo após o incidente que aconteceu há alguns dias. Há um
intervalo de 21 minutos na general. Amanhã o Quintanilla e o Toby começam à
minha frente, por isso o plano é apanhá-los ou mantê-los na mira. Assim,
continuarão a começar à minha frente nos próximos dias. Não sei bem o que vai
acontecer, por isso vamos apenas manter-nos concentrados e não perder os vinte
e um minutos. A etapa da maratona é muito fixe e relaxante. Vai ser bom”.

Joan Barreda, 3º na etapa, 4º na
geral:
“Foi um bom dia.
Comecei em segundo e no reabastecimento já estava a abrir a pista. Foi também
nessa altura que ultrapassei o Kevin. Depois chegaram as dunas e havia uma área
de navegação confusa. Finalmente conseguimos manter o bom ritmo e chegar bem à
linha de chegada. Tenho estado a abrir a pista e a seguir na frente há vários
dias e não é fácil. Há duas etapas com areia, depois uma mais curta, por isso
não vai ser fácil reduzir o tempo. Tentaremos fazer melhor em cada dia e
reduzir o tempo o máximo possível”.

José Ignacio Cornejo, 8º na
etapa, 5º na geral:
“Hoje
foi difícil entrar na prova e focar na etapa, não só eu, mas todos os pilotos.
Nos primeiros quilómetros fiz vários erros que me custaram tempo, mas depois
consegui recuperar a minha concentração e ritmo. Estou contente por poder
recuperar o ritmo da corrida. Faltam apenas três dias e ainda estamos na luta
pelo pódio. Faremos o nosso melhor para chegar o mais longe que pudermos na
geral”.

Pablo Quintanilla, 1º na etapa,
2º na geral:
“Foi
uma sensação estranha esta manhã, depois do que aconteceu ao Paulo, mas acho
que foi bom voltar a pilotar. Houve uma longa ligação esta manhã e estava muito
frio, mas senti-me melhor quando chegámos à especial e consegui logo dar o
máximo”. No final, ganhei a etapa, que foi uma forma adequada de homenagear
o Paulo. Mas agora, com a etapa oito cancelada, a minha estratégia é mais
complicada. O meu objetivo daqui para a frente é dar o meu melhor e tentar
recuperar o máximo de tempo possível nos três dias finais”.

Toby Price, 2º na etapa, 3º na geral: “Hoje foi um dia longo e, sendo tão rápido, foi muito difícil recuperar tempo, pois estamos todos muito perto nestas etapas de velocidade. Psicologicamente, foi um dia muito difícil mas ainda estamos na corrida e o principal objetivo, como sempre, é chegar em segurança à meta. Definitivamente, ainda faltam muitos quilómetros, por isso vamos tentar o nosso melhor até ao final”.

Foto: Rockstar Energy Husqvarna, KTM, Monster Energy Honda