Apenas uma semana depois de receber uma estreia emocionante do Mundial de F1, o Red Bull Ring repetiu a dose no domingo, quando o atual campeão mundial, Lewis Hamilton conquistou sua primeira vitória da temporada, no Grande Prémio da Estíria. O Diretor da Fórmula 1 e Motorsport, Ross Brawn debruçou-se sobre os principais pontos de discussão…

Ferrari tem um longo caminho à sua frente
O Grande Prémio da Estíria foi outro espectáculo sensacional, com batalhas por toda a pista – mas foi um fim-de-semana de corrida para esquecer para a Ferrari, com os seus pilotos a cometerem um pecado capital ao colidirem um com o outro e o que resultou no abandono de ambos nas primeiras voltas.

Como chefe de equipa, nunca queremos ver isso acontecer, mas isso vai prejudicar ainda mais a Ferrari, porque eles trabalharam duro para levar um novo pacote aerodinâmico para a Áustria uma semana antes do previsto e a colisão entre Sebastian Vettel e Charles Leclerc roubou-lhes a chance de analisar o novo pacote em competição.

Charles esteve bem ao aceitar a culpa pelo acidente, mas isso não ajuda. Dito isto, é desporto e estas coisas podem acontecer – mas agora parece que os engenheiros na fábrica têm muito trabalho para fazer.

Um dos maiores problemas da Ferrari é que, de todas as equipas da grelha, está sob o olhar muito atento da imprensa, especialmente em Itália. Sei por experiência própria que a pressão da imprensa em Itália pode ser incrivelmente intensa, e você tem que ter certeza de que não chegará aos elementos da equipa.

Os líderes da equipa têm que lidar com isso e garantir que o pessoal mantenha a fé e se mantenha concentrado no que precisa de ser feito. Mas eles não vão dar a volta por cima da noite para o dia, e há um longo caminho à sua frente. Para já, precisam descobrir se existe um problema fundamental com o carro – e precisam de descobri-lo rapidamente – porque, claramente, estão longe do ritmo das equipas da frente.

Mercedes e Hamilton destacam-se
A Mercedes esteve muito impressionante no Red Bull Ring e demonstrou mais uma vez que é a equipa a bater – mas também é evidente que esteve a gerir os seus carros durante a corrida, especialmente depois de ter encontrado problemas com a caixa de velocidades, na corrida anterior na Áustria.

Eu suspeito que eles tinham um pouco mais de reserva de performance no carro, devido à necessidade de ficar fora dos corretores e para serem um pouco menos agressivos com os carros durante a corrida. Isso, só por si deve manter os seus concorrentes preocupados.

Lewis foi particularmente impressionante este fim-de-semana. Vê-se que ele ficou desapontado com a forma como decorreu a corrida de abertura da época, mas como já o fez em tantas ocasiões, não se deixou afetar e simplesmente baixou a cabeça e trabalhou arduamente.

A sua volta no sábado foi inacreditável e uma das suas melhores de sempre, dadas as condições traiçoeiras da pista. Estar tão à frente de qualquer outro naquelas condições foi verdadeiramente extraordinário. Aquela volta colocou-o em posição de dominar – e ele não perdeu a oportunidade.

Verstappen mostra a sua classe
A Red Bull certamente fez melhorias durante o inverno e é claro que atualmente são eles que oferecem a maior ameaça à Mercedes – Lewis disse o mesmo neste fim de semana – mas eles ainda não têm a velocidade para desafiar as Flechas de Prata, agora negros, em pura performance.

No entanto, isso não impediu o Max de tentar. Ele teve outra performance exemplar com o pacote que tinha – e não acho que alguém poderia ter conseguido fazer melhor do que ele.
A sua determinação em ripostar contra Valtteri, depois do Mercedes passar por ele, colocou-nos no limite dos nossos assentos. Mas sabíamos que esta seria uma batalha inútil. Tal como sucedeu…

No entanto, isso mostra o alto nível em que estes pilotos estão a correr. Podem andar roda com roda aquelas velocidades e fazem-no com toda a confiança que têm uns com os outros. O Max deu o que tinha e o terceiro lugar foi o máximo que ele conseguiu alcançar.

Outro fim-de-semana positivo para a Fórmula 1
Estou encantado por termos arrancado com a temporada de Fórmula 1, e já tivemos dois bons Grandes Prémios. Eu gostaria de agradecer e elogiar todas as pessoas envolvidas que nos trouxeram até aqui. Todos na F1 têm estado envolvidos, em comportarem-se de forma responsável.

É espantoso que tenhamos conseguido passar o fim-de-semana inteiro, pela segunda vez consecutiva, com uma lista limpa, só de testes negativos. Haverá testes positivos, tenho a certeza disso. Quando tivermos esses testes positivos, temos que nos certificar que vmaos lidar com eles da forma correta e adequada para minimizar o impacto que eles têm sobre a F1.

Tem sido um começo fantástico. Todos estão tão contentes e aliviados port termos a temporada a decorrer. Dada a pandemia ter afectado os países de formas diferentes, temos de ser flexíveis durante os próximos seis meses, mas temos um programa razoável pela frente e, a partir do exemplo das duas primeiras corridas, podemos ter uma época de Grandes Prémios fantasticamente emocionante.